24°
Máx
17°
Min

Flamengo bate Figueirense no Pacaembu e mantém perseguição ao Palmeiras

(Foto: Gilvan de Souza / Flamengo) - Flamengo bate Figueirense no Pacaembu
(Foto: Gilvan de Souza / Flamengo)

As cores vermelho e preto deram o tom do Pacaembu, em São Paulo, na manhã deste domingo. Com arquibancadas lotadas, o Flamengo dominou o Figueirense e ganhou por 2 a 0, pela 26ª rodada do Campeonato Brasileiro. O placar só não foi mais elástico pelas inúmeras chances de finalização desperdiçadas pelo time carioca, que chegou a 50 pontos e continua a perseguição ao líder Palmeiras, com 51. Na próxima fase, enfrenta o Cruzeiro na esperança de assumir a ponta da tabela.

Resultado ruim para a equipe catarinense, que briga para fugir do rebaixamento. O Figueirense soma apenas 28 pontos, ocupa a 17ª posição e pode ainda perder uma colocação se o Internacional vencer o América-MG na segunda-feira, às 20 horas. Na próxima rodada, recebe o Santa Cruz no Orlando Scarpelli.

O Flamengo, sem chance de assumir a liderança neste domingo depois da vitória do Palmeiras sobre o Corinthians na véspera, entrou em campo com o objetivo de não se distanciar da ponta. E tomou o controle da partida desde o início. Aos 12 minutos, detinha 77% da posse de bola, contra apenas 23% do Figueirense.

Boas chances foram criadas pelo time rubro-negro, que pressionou o rival durante todo o jogo. Aos 17 minutos, Diego recebeu ótimo passe de Willian Arão e chutou cruzado, a bola passou muito próxima da trave direita de Gatito Fernandez. A primeira chance do time catarinense contra o gol de Alex Muralha ocorreu apenas aos 25 minutos de jogo, sem perigo no chute de Maurides.

Mesmo sem ter sido exigido na partida, o goleiro do time carioca foi muito festejado pelos torcedores, orgulhosos pela convocação do rubro-negro para a seleção brasileira. "Ão, ão, ão, Muralha é seleção", exaltaram. O jogador do Flamengo foi convocado por Tite para os jogos contra Bolívia e Venezuela pelas Eliminatórias da Copa do Mundo de 2018.

E o Flamengo teve a chance de abrir o placar aos 29 minutos. Leandro Damião tocou de cabeça na área e Ayrton cortou com o braço. O juiz marcou pênalti. O camisa 18 foi para a cobrança, mas, para amargura da maciça torcida rubro-negra no Pacaembu, não conseguiu converter. O atacante chutou baixo, no lado esquerdo de Gatito, que espalmou e salvou o Figueirense. A torcida lamentou, mas não deixou de apoiar Damião.

Com o jogo pausado para hidratação dos jogadores - o calor intenso em São Paulo fez os reservas do Flamengo colocarem toalhas brancas sobre a cobertura transparente do banco de reservas -, Leandro Damião teve seu nome gritado pelas arquibancadas. Quando a fase do time é boa, nem pênalti perdido abala a torcida.

Foi o terceiro pênalti cobrado pelo jogador na equipe, o primeiro desperdiçado. Damião fez seu quinto jogo consecutivo como titular do Flamengo. Isso porque Paolo Guerrero não viajou a São Paulo. De acordo com o boletim médico divulgado pelo clube, o peruano teve febre, mal-estar e sinusite.

O placar zerado no Pacaembu durou pouco. Aos 36 minutos, Willian Arão recebeu um cruzamento de Rafael Vaz e, de cabeça, marcou o primeiro do Flamengo. A torcida ficou em êxtase e fez barulho no Pacaembu. Bastante superior na partida, o time carioca levou a vantagem para o segundo tempo. No intervalo, o presidente Eduardo Bandeira de Mello acenou para os torcedores que o aplaudiam.

O Flamengo voltou para a segunda etapa com a mesma determinação. E, dessa vez, Leandro Damião deixou a torcida irritada. Primeiro isolou a bola e depois atrapalhou o companheiro, fazendo os rubro-negros pedirem o nome de Felipe Vizeu. Em um bate e rebate na cara do gol, mais uma chance de ampliar foi desperdiçada pelo time carioca.

O Figueirense foi ganhando espaço no contra-ataque. E o Flamengo buscou alternativas no banco de reserva, com a entrada de Vizeu no lugar de Damião. Depois de ficar agoniado com as chances de finalização desperdiçadas, o torcedor soltou o grito. Vizeu foi derrubado por Bruno Alves na área e o árbitro marcou pênalti. Aos 25 minutos, Diego bateu rasteiro, o goleiro do Figueirense chegou a encostar na bola, mas ela foi parar no fundo do gol. Foi o suficiente para os rubro-negros rodarem a camisa no alto e cantarem: "O campeão voltou".

No fim da partida, ficou ainda mais fácil para o Flamengo, com um jogador a mais em campo depois da expulsão de Marquinhos Pedroso. O jogador do Figueirense recebeu o segundo cartão amarelo e teve de deixar o gramado. A torcida passou a gritar "olé" das arquibancadas. O Flamengo só precisou administrar a vitória para levar os três pontos para casa.

FICHA TÉCNICA:

FLAMENGO 2 X 0 FIGUEIRENSE

FLAMENGO - Alex Muralha; Pará, Réver, Rafael Vaz e Jorge; Willian Arão, Cuellar, Everton (Alan Patrick) e Diego; Gabriel (Fernandinho) e Leandro Damião (Felipe Vizeu). Técnico: Zé Ricardo.

FIGUEIRENSE - Gatito Fernández; Nirley, Bruno Alves e Werley; Ayrton Jefferson, Yago (Ferrugem), Marquinhos Pedroso, Bady (Elvis) e Marlon (Rafael Silva); Maurides. Técnico: Tuca Guimarães.

ÁRBITRO - Luiz Flavio de Oliveira (Fifa).

GOLS - Willian Arão, aos 36 minutos, e Diego, de pênalti, aos 25 minutos do segundo tempo.

CARTÕES AMARELOS - Bruno Alves, Ferrugem, William Arão, Diego.

CARTÃO VERMELHO - Marquinhos Pedroso.

RENDA - R$ 1.502.640,00.

PÚBLICO - 28.168 pagantes.

LOCAL - Estádio do Pacaembu, em São Paulo.