22°
Máx
17°
Min

Gabriel Jesus brilha na estreia de Tite e Brasil derrota o Equador por 3 a 0

(Foto: Divulgação)  - Gabriel Jesus brilha na estreia de Tite e Brasil derrota o Equador
(Foto: Divulgação)

O técnico Tite teve uma estreia de gala na seleção brasileira. A equipe jogou uma excelente partida, dominou totalmente o até então invicto Equador e venceu por 3 a 0, nesta quinta-feira, no estádio Olímpico Atahualpa, em Quito, pela sétima rodada das Eliminatórias da Copa do Mundo de 2018. Foi um triunfo incontestável. Gabriel Jesus foi o destaque da partida - fez dois gols e sofreu o pênalti do primeiro. E o treinador, que levou a seleção aos 12 pontos, sorriu como criança ao final do jogo.

Antes mesmo de a bola rolar, Tite chamou o meia Willian para dar uma instrução. Em pé com os braços cruzados, tinha expressão ansiosa. Depois, passou quase todo o primeiro tempo de pé. Gesticulou bastante, sempre indicando posicionamento para os jogadores. Fez ou outra, após a conclusão de uma jogada, brasileira ou equatoriana, virava-se para o banco de reservas e comentava alguma coisa com seus auxiliares.

Tite deu algumas broncas, como em Willian, após o meia perder uma bola que permitiu ao Equador um ataque bastante perigoso, mas também elogiou as jogadas bem feitas. Ao final da etapa, o treinador teve mais motivos para elogiar do que para dar broncas. A seleção jogou relativamente bem os primeiros 45 minutos. Não permitiu ao Equador pressionar - como o técnico Gustavo Quinteros queria. Marcou bem, tocou a bola e criou as melhores oportunidades.

O Brasil também falhou, principalmente os laterais. Daniel Alves, na direita, perdeu várias disputas para Jefferson Montero e Marcelo, na esquerda, deixou muitos espaços. Esse foi o principal problema da equipe na etapa. Em compensação, os zagueiros de área comportarem-se muito bem.

A equipe voltou ainda melhor no segundo tempo. Jogando com um pouco mais de rapidez, com Neymar mais esperto do que na primeira etapa, o Brasil dominou e atacou mais. O jogo ficou mais franco e os equatorianos ameaçaram algumas vezes, mas não com grande perigo.

O time brasileiro, ao contrário, teve boas chances, com Renato Augusto e Marcelo, sendo que o chute do lateral-esquerdo da entrada da área levou Tite ao desespero. A seleção estava bem, mas o gol não saiu e o técnico foi ficando ainda mais agitado e nervoso. Alternava momentos em que gesticulava e falava muito, com outros em que cruzava os braços.

O time estava bem, mas Willian não funcionava e Tite o trocou por Phillipe Coutinho. Aí, o domínio aumentou e veio o primeiro gol. Gabriel Jesus, que fez ótima partida, foi derrubado na área pelo goleiro Dominguez. Neymar bateu e abriu o placar aos 26 minutos. O treinador comemorou, mas logo chamou Renato Augusto para dar instrução - pediu atenção total para neutralizar a pressão que viria.

No entanto, o Brasil continuou mandando na partida, só passou um momento de real perigo - chute de Bolaños e grande defesa de Alisson - criou chances e chegou ao segundo gol, aos 41 minutos. Golaço de Gabriel Jesus, de calcanhar, após triangulação entre Phillipe Coutinho, Neymar e Marcelo.

Aí, Tite explodiu. Pulou, abraçou e cerrou os punhos. Ele estreava com vitória na seleção. Gabriel Jesus ainda faria outro belo gol, aos 46 minutos, para premiar o chefe. Agora é pensar na Colômbia, nesta terça-feira, na Arena Amazônia, em Manaus, pela oitava rodada das Eliminatórias.

FICHA TÉCNICA

EQUADOR 0 x 3 BRASIL

EQUADOR - Domínguez; Paredes, Achilier, Arturo Mina e Walter Ayovi; Gruezo (Gaibor) e Noboa; Enner Valencia, Montero (Arroyo) e Bolaños; Caicedo (Ibarra). Técnico: Gustavo Quinteros.

BRASIL - Alisson; Daniel Alves, Marquinhos, Miranda e Marcelo; Casemiro; Renato Augusto, Paulinho, Willian (Philippe Coutinho) e Neymar; Gabriel Jesus. Técnico: Tite.

GOLS - Neymar (pênalti), aos 26, e Gabriel Jesus, aos 41 e aos 46 minutos do segundo tempo.

CARTÕES AMARELOS - Bolaños, Montero e Domínguez (Equador); Paulinho (Brasil).

CARTÃO VERMELHO - Paredes (Equador).

ÁRBITRO - Enrique Cáceres (Fifa/Paraguai).

RENDA - Não disponível.

PÚBLICO - 34.887 pagantes.

LOCAL - Estádio Olímpico Atahualpa, em Quito (Equador).