22°
Máx
17°
Min

Infantino faz 1ª visita à América do Sul após eleição e quer retomar confiança

O novo presidente da Fifa, Gianni Infantino, iniciou nesta segunda-feira sua primeira visita à América do Sul depois que assumiu o cargo. O continente foi um dos mais atingidos pelo grande escândalo de corrupção que assombra o futebol desde o ano passado. Por isso, o suíço ressaltou a importância de a Conmebol e a Fifa buscarem recuperar suas imagens.

"A Fifa e a Conmebol têm enfrentado uma situação muito difícil depois dos eventos dos últimos meses. No entanto, nós estamos comprometidos com a implementação da reforma necessária para assegurar que vamos reconquistar a confiança das nossas partes interessadas e servir ao futebol da melhor maneira possível", declarou o presidente da Fifa.

Infantino desembarcou no Paraguai nesta segunda na sede da Conmebol, em Luque. O suíço se reuniu com o presidente da entidade sul-americana, Alejandro Dominguez, antes de viajar a Assunção para se encontrar com o presidente do país, Horacio Cartes.

"A implementação em andamento de reformas na Fifa e na Conmebol e a promoção do desenvolvimento do futebol na América do Sul foram os assuntos das discussões durante a fase inicial da primeira visita de Gianni Infantino à América do Sul como presidente da Fifa", explicou a maior entidade do futebol em nota.

Gianni Infantino só assumiu a presidência da Fifa graças ao escândalo de corrupção exposto pela Justiça norte-americana em parceira com a suíça. O então presidente da entidade, Joseph Blatter, viu diversos de seus dirigentes serem presos e renunciou ao cargo - posteriormente seria suspenso do futebol.

Na América do Sul, o escândalo também refletiu na prisão de diversos dirigentes e na renúncia de tantos outros. O então presidente da Conmebol, Juan Ángel Napout, foi preso na Suíça e renunciou ao cargo em dezembro do ano passado. Alejandro Dominguez foi eleito seu substituto em janeiro.