22°
Máx
14°
Min

Joel dá assistência, marca gol e faz Santos bater o Santa Cruz em Recife

(Foto: Divulgação)  - Joel dá assistência, marca gol e faz Santos bater o Santa Cruz em Recife
(Foto: Divulgação)

Não faz muito tempo, ele perdeu a oportunidade de ser titular ao contrair caxumba. Uma chance rara. Reserva do goleador do Santos, Joel sabe que dificilmente terá muitas oportunidades. Mas finalmente o camaronês pôde curtir um dia de protagonista na vaga de Ricardo Oliveira. Neste domingo à noite, em jogo de pouco brilho, o atacante foi decisivo no importante triunfo, por 2 a 0 sobre o Santa Cruz, ao dar assistência no primeiro gol e depois deixar sua marca.

Este foi o primeiro triunfo santista como visitante neste Brasileirão. E o segundo levando em consideração a competição toda de 2015. Sim, o Santos sofre para ganhar como visitante. Ainda mais com ausências importantes no setor ofensivo.

Foi um jogo de ataques provisórios no Arruda, já que Santos e Santa Cruz entraram com desfalques de peso: suas duplas ofensivas titulares, formadas por Gabriel (na seleção) e Ricardo Oliveira (machucado), e Keno e Grafite (também lesionados) estavam de fora. E com times sob pressão. Apesar de a competição ainda estar no começo, ficar para trás nunca é bom. E as duas equipes estavam na rabeira da competição - paulistas em 15º e pernambucanos na 13ª colocação.

Arthur e Bruno Morais de um lado, Joel e Paulinho do outro, carregavam o peso de conduzir suas equipes na parte ofensiva. Conseguiriam substituir os atacantes famosos?

Joel é quem teve a primeira chance para consagração, aos 21 minutos da etapa inicial. Recebeu um chutão de Thiago Maia livre e, na saída do desesperado goleiro Thiago Cardoso, tentou um tapa por cobertura. Exagerou na força e jogou para o alto chance rara em jogo longe de casa.

O camaronês atrapalhado ainda apareceria aos 26. Armou bela cabeçada e a fez, sem força. Leo Citadini ainda tentou concluir, sem êxito.

Ataque sensação do início da competição (fez quatro gols em duas partidas), o Santa Cruz mostrou que não tinha reposição à altura. Em casa, chutou só uma fez no gol até o intervalo. E com o meia Lelê, também pelo alto. Antes do descanso, contudo, Paulinho tinha de aparecer em algum momento. O fez ao reclamar e levar um cartão amarelo bobo.

Já que os atacantes não estavam muito dispostos a atacar, o lateral Zeca então resolveu se arriscar. Recebeu uma 'escorada' de Joel e, de primeira, sem deixar a bola pingar, fez um golaço para salvar uma etapa de dar sono no Arruda. Uma pintura no minuto final.

Os pernambucanos que já estavam irritados com a equipe, vaiaram seus jogadores. Bolaño, vítima principal da torcida, nem voltou para a fase final, assim como Bruno Morais, peça decorativa no jogo. Milton Mendes queria mexer com o grupo, enquanto o Santos parecia satisfeito com a vantagem mínima.

Enfim, o Santa Cruz acordou. Arthur assustou Vanderlei logo aos 2 minutos. Arrancou o "uh" da galera. Aos cinco, o goleiro santista trabalhou na bomba de Fernando Gabriel. Os paulistas é quem pareciam adormecidos. O time se livrava da bola, quase não ultrapassava o meio e era sufocado. Mas quem não faz...

Num raro contragolpe na fase final, Joel recebeu de Vitor Bueno e sacramentou a vitória. Se não foi brilhante, ao menos o Santos soube se defender e traz importantes três pontos na bagagem.

FICHA TÉCNICA

SANTA CRUZ 0 X 2 SANTOS

SANTA CRUZ - Thiago Cardoso; Léo Moura, Neris, Danny Morais e Thiago Costa; Alex Bolaño (Leandrinho), João Paulo, Fernando Gabriel (Daniel Costa) e Lelê; Arthur e Bruno Morais (Wallison). Técnico: Milton Mendes.

SANTOS - Vanderlei; Victor Ferraz, Luiz Felipe, Gustavo Henrique e Zeca; Renato, Thiago Maia, Vitor Bueno e Léo Citadini (Serginho); Paulinho (Ronaldo Mendes) e Joel (Elano). Técnico: Dorival Junior.

GOLS - Zeca, aos 45 minutos do primeiro tempo; Joel, aos 19 do segundo.

ÁRBITRO - Elmo Alves Rezende (GO).

CARTÕES AMARELOS - Paulinho e Wallyson.

PÚBLICO - 16.464 pagantes.

RENDA - R$ 182.805,00.

LOCAL - Estádio do Arruda, em Pernambuco (PE).