28°
Máx
17°
Min

Jogador mexicano é resgatado após 24h horas sequestrado na fronteira com os EUA

(Foto: Divulgação)  - Jogador mexicano é resgatado após 24h horas sequestrado na fronteira com os EUA
(Foto: Divulgação)

O jogador mexicano de futebol Alan Pulido, que esteve na Copa do Mundo de 2014, foi resgatado são e salvo depois de permanecer cerca de 24 horas sequestrado no estado de Tamaulipas, na fronteira com os Estados Unidos. Um suspeito do crime foi preso pela polícia local.

Ainda pouco se sabe sobre o caso. O jogador apareceu em público para falar muito brevemente com a imprensa e não aparentava ter sido agredido. Apenas sua mão direita estava enfaixada. Rapidamente, disse que estava "muito bem". "O mais importante é que ele está aqui conosco", emendou o governador de Tamaulipas, Egidio Torre Cantú.

Pulido então entrou numa caminhonete da polícia e seguiu com rumo desconhecido. As autoridades policiais de Tamaulipas, responsáveis pelo caso, não deram informações a respeito do resgate. O porta-voz do órgão, Evaristo Gutiérrez, apenas revelou que um suspeito foi detido.

Alan Pulido estava em uma festa em Ciudad Victoria com sua namorada, onde ficou até por volta das 23h30 de sexta-feira. Quando deixava o local, ele teria sido interpelado por várias caminhonetes e obrigado a entrar em uma delas.

Para a imprensa mexicana, o sequestro está relacionado às eleições estaduais do próximo fim de semana. Em Tamaulipas, na fronteira com o Texas, dois cartéis rivais - do Golfo e o Los Zetas - duelam há anos pelo controle do tráfico de drogas, promovendo sequestros, roubos e extorsões.

Alan Pulido foi revelado nas divisões de base do Tigres, de onde saiu em 2014 para atuar na Grécia, no Levadiakos. Depois de uma boa temporada, chamou a atenção do Olympiacos, que o contratou. Ele fez parte do elenco de 23 jogadores que representou o México na última Copa, sem entrar em campo.

De acordo com o técnico da seleção mexicana, Juan Carlos Osorio, Pulido seria um dos seus convocados para a Copa América Centenária, mas ele não é chamado porque vive uma longa disputa judicial com o Tigres, que alega que é dono dos seus direitos federativos e que o atacante abandonou o clube para atuar na Grécia.