23°
Máx
12°
Min

Juninho recusa propostas de outros clubes e permanece no Coritiba

(Foto: Divulgação/Coritiba) - Juninho recusa propostas de outros clubes e permanece no Coritiba
(Foto: Divulgação/Coritiba)

Na manhã desta sexta-feira (20), o presidente do Coritiba, Rogério Bacellar confirmou a permanência do zagueiro Juninho, que estava sendo assediado por clubes como o Lyon da França, o Dínamo de Kiev e o Flamengo, aqui no Brasil. O jogador acompanha, inclusive, a delegação que encara o Santos, no próximo domingo (22), às 11h, pela segunda rodada da Série A.

“O Juninho é um menino que faz parte da vida do Coritiba. Nós conseguimos conversar e ele vai ficar no clube. Eu garanto que o futuro dele será brilhante”, afirmou Bacellar. O presidente ainda afirmou que o clube está tentando adquirir a outra parte do passe do atleta, que hoje está com o Junior Team.

Já o diretor de futebol, Valdir Barbosa, falou sobre o interesse dos times estrangeiros e brasileiros, mas explicou que Juninho é muito importante para o time. “O peso maior de tudo isso é a manutenção do grupo, manter a base da equipe no Campeonato Brasileiro. É intenção do Juninho continuar no clube e esperar uma oportunidade só mais para frente, quem sabe no futebol estrangeiro, para alçar um novo voo”, afirmou.

“Vou mostrar em campo por que eu quis ficar aqui no Coritiba. Meus planos são os mesmos. A gente tem que manter a cabeça tranquila, meu foco agora é permanecer no clube. Agora é procurar fazer história aqui e é isso que vou tentar fazer", comentou o zagueiro.

Juninho chegou ao clube ainda nas categorias de base, em 2012. Passou pelas equipes Sub-17 e Sub-20 e no ano passado foi promovido para a equipe principal, estreando diante do Corinthians, campeão da edição passada do Campeonato Brasileiro.

Destaque na reta final do Brasileirão e na campanha de permanência da Série A na temporada passada, Juninho manteve o mesmo desempenho no início de 2016 e o assédio pelo prata da casa alviverde começou a aumentar, com propostas de outros clubes, que acabaram não concretizando o negócio.