22°
Máx
17°
Min

Juventus goleia na Croácia e assume ponta na Liga dos Campeões; Sevilla bate Lyon

Em uma chave com três clubes com reais chances de classificação às oitavas de final da Liga dos Campeões da Europa, é obrigação ganhar da equipe mais fraca. Mesmo se o jogo for fora de casa. Foi isso que a Juventus fez nesta terça-feira, na Croácia, diante do Dínamo Zagreb. Aplicou uma contundente goleada por 4 a 0 e assumiu a liderança do Grupo H. Tem quatro pontos junto com o Sevilla, que bateu o Lyon por 1 a 0 como mandante, mas ganha no saldo de gols (4 a 1).

Na estreia, há duas semanas, Juventus e Sevilla ficaram no empate sem gols, em Turim. O Lyon, que na rodada inaugural havia ganhado do Dínamo Zagreb, na França, por 3 a 0, fica agora na terceira colocação, com três pontos. Os croatas seguem na lanterna sem pontuar. Na terceira rodada, marcada para o dia 18 de outubro, os duelos são: Dínamo Zagreb x Sevilla, na Croácia, e Lyon x Juventus, na França.

Na capital croata, a Juventus jogou com o que tem de melhor e mostrou o seu melhor. Diante de um frágil Dínamo Zagreb, a atual pentacampeã italiana não deu qualquer chance ao adversário com dois gols em cada tempo. Aos 24 minutos da primeira etapa, o bósnio Pjanic recebeu na entrada da área e com um leve toque tirou do goleiro Semper e abriu o placar. Aos 31, foi a vez do centroavante argentino Gonzalo Higuaín deixar o seu em um chute forte de dentro da área.

Após o intervalo, a Juventus não diminuiu o ritmo e conseguiu a goleada. Aos 12 minutos, o atacante Paul Dybala acertou um belo chute de canhota da intermediária e a bola entrou no ângulo esquerdo baixo de Semper. Por fim, aos 40, o lateral-direito brasileiro Daniel Alves cobrou falta, a bola desviou na barreira e o goleiro croata, na tentativa de espalmar para cima, o fez para baixo e o erro bizarro fez o gol ser contra.

Na Espanha, o Sevilla conseguiu uma importante vitória sobre o Lyon. O gol saiu apenas no segundo tempo, aos 7 minutos, com Wissam Ben Yedder, e o time espanhol poderia ter um triunfo mais tranquilo, mas Luciano Dario Vietto desperdiçou uma cobrança de pênalti. O meia brasileiro Paulo Henrique Ganso, ex-São Paulo e Santos, não foi aproveitado pelo técnico argentino Jorge Sampaoli e ficou o tempo todo no banco de reservas do Sevilla.