22°
Máx
14°
Min

Lavezzi troca o PSG pela China e vai jogar ao lado de Gervinho

O Hebei China Fortune anunciou nesta quarta-feira a contratação daquele que promete ser o principal astro do Campeonato Chinês. Após longas negociações, o Paris Saint-Germain finalmente liberou o argentino Ezequiel Lavezzi para se transferir ao país mais populoso do mundo. Em Qinhuangdao, no nordeste da China, o atacante vai atuar ao lado de Gervinho, ex-Roma.

Lavezzi tinha contrato com o PSG apenas até o fim da temporada, de forma que ele já poderia assinar pré-contrato com qualquer equipe. Isso fez com que a transferência não rendesse tanto dinheiro ao clube francês, que teria recebido 5 milhões de euros para liberar o argentino. O PSG só fez questão de segurar a negociação até esta quarta-feira para que Lavezzi pudesse atuar na terça contra o Chelsea, se necessário. Ele, entretanto, acabou nem sendo relacionado.

Se o PSG não lucrou muito com a transação, o mesmo não se pode dizer a respeito de Lavezzi. Especula-se que o jogador, de 30 anos, vá receber cerca de 15 milhões de euros por temporada. Como assinou por dois anos, faturaria algo em torno de R$ 130 milhões.

O mercado chinês começou a atrair jogadores de destaque do futebol brasileiro há dois anos, levando do Brasil, nesse período, nomes como Diego Tardelli, Montillo, Conca, Barcos, Marcelo Moreno, Elkeson, Robinho, Ricardo Goulart, Aloísio, Gil, Ralf, Luis Fabiano, Jadson, Geuvânio e Renato Augusto, além de Paulinho.

No último mês, os chineses passaram a olhar a Europa. De lá rumaram para a China nomes como os brasileiros Ramires, Alex Teixeira (na maior transação da temporada), o marfinense Gervinho, os colombianos Freddy Guarin, Fredy Montero e Jackson Martínez, o camaronês M'Bia, os turcos Ersan Gülüm e Burak Yilmaz e o croata Nikica Jelavic, que esta semana trocou o West Ham pelo Beijing Renhe, da segunda divisão chinesa. Tim Cahill e Jô também chegaram.

No Hebei China Fortune, Lavezzi será companheiro de Gervinho, do congolês Gaël Kakuta (contratado junto ao Sevilla) e o camaronês Stéphane M'bia (também ex-Sevilla, mas que estava no Trabzonspor, da Turquia). Cada clube pode utilizar quatro estrangeiros por partida na China.