22°
Máx
16°
Min

Londrina será julgado no STJD por 'apagões' no estádio do Café

(foto: Wellington Ferrugem/Londrina Esporte Clube) - Londrina será julgado no STJD por 'apagões' no estádio do Café
(foto: Wellington Ferrugem/Londrina Esporte Clube)

O Londrina Esporte Clube e a Federação Paranaense de Futebol serão julgados no Superior Tribunal de Justiça Desportiva pelos apagões registrados no estádio do Café nas partidas contra o Cruzeiro, no dia 10 de maio pela Copa do Brasil, e contra o Náutico, no dia 24 de maio, pelo Brasileiro da Série B.

Os processos serão julgados pela Quinta Comissão Disciplinar na próxima quinta (2), em sessão agendada para iniciar às 11h.

Na partida contra o Cruzeiro, o árbitro relatou em súmula um atraso de 18 minutos no início de jogo por conta da falta de energia em duas torres situadas atrás das arquibancadas, causada pelo estouro de um transformador da Copel.

 Já contra o Náutico, o problema ocorreu no intervalo, atrasando o reinício da partida em 15 minutos. Desta vez, o problema foi com um dos geradores contratados pelo clube.

 Segundo a denúncia, Londrina e FPF descumpriram artigos do Regulamento Geral de Competições da CBF, ao deixar de tomar medidas necessárias para realização das partidas, gerando atraso no jogo.

 Na partida contra o Cruzeiro, as duas partes foram denunciadas

Pelos fatos, na partida contra o Cruzeiro, clube e entidade foram denunciados por infração aos artigos 191, inciso III (Deixar de cumprir, ou dificultar o cumprimento: de regulamento, geral ou específico) e 211 (Deixar de manter o local indicado para realização do evento com infraestrutura necessária a assegurar pela garantia e segurança para sua realização), ambos do Código Brasileiro de Justiça Desportiva. Cada infração prevê multa entre R$ 100 e R$ 100 mil.

Já o problema na partida da Série B do Brasileiro rendeu ao Londrina denuncia nos artigos 191, inciso III; 211 e no artigo 206 (dar causa ao atraso no início ou reinício da partida) do CBJD, enquanto a Federação Paranaense foi enquadrada no artigo 191, inciso III. O artigo 206 prevê multa de até R$ 1 mil por minuto de atraso.

(com informações do STJD)