22°
Máx
14°
Min

Londrina tem dívida de R$ 4 milhões com a prefeitura

(foto: Vagner Gomes/Rede Massa) - Londrina tem dívida de R$ 4 milhões com a prefeitura
(foto: Vagner Gomes/Rede Massa)

O presidente do Londrina Esporte Clube, Felipe Prochet, e o gestor da SM Sports, Sérgio Malucelli, concederam entrevista coletiva na manhã desta quinta-feira (14) para falar sobre os próximos passos do time, eliminado nas quartas de final do Paranaense, mas que ainda tem pela frente a Copa do Brasil e a Série B do Campeonato Brasileiro.

Em meio às perspectivas, eles anunciaram uma dívida de R$ 4,5 milhões que o clube tem com a prefeitura de Londrina por conta de um empréstimo contraído em 1996. Em uma ação popular movida por um torcedor, ele pede devolução de R$ 400 mil repassados ao LEC pela prefeitura para realização de um evento. Na época, o prefeito era Antonio Belinati, e o coordenador de esportes do clube era Celio Guergoleto. A reportagem havia informado anteriormente, de forma equivocada, que ele era presidente do Londrina.

O Londrina já foi condenado em primeira e segunda instância.

Diante deste cenário, os gestores afirmam não ter condições de assumir a administração do estádio do Café, em concorrência aberta pela prefeitura. Os custos seriam de R$ 100 mil mensais.

Questionado sobre reforços, Malucelli confirmou apenas o retorno dos meias Morato e Rafael Bastos, que estavam emprestados a Cascavel e Toledo, respectivamente. Logo após a eliminação, o técnico Claudio Tencati deixou claro que precisa de pelo menos cinco jogadores para a disputa da segunda divisão nacional.

Quem pode desembarcar por aqui é o lateral direito Ayrton, que se destacou no clube no Paranaense de 2012. Depois de ser emprestado ao Coritiba, foi vendido para o Palmeiras, que após uma rápida passagem emprestou o jogador ao Vitória e ao Flamengo. O contrato de Ayrton com o alviverde terminou em janeiro deste ano, e está sem clube desde então.

(colaborou Laís Cardoso/Rede Massa)