20°
Máx
14°
Min

Marcelo Oliveira agradece o Palmeiras e diz sair de cabeça erguida

Demitido após a derrota por 2 a 1 para o Nacional, do Uruguai, na última quarta-feira, no Allianz Parque, o técnico Marcelo Oliveira divulgou nesta quinta-feira uma carta de agradecimento ao clube, diretoria e funcionários e disse deixar o clube de cabeça erguida e com o sentimento de dever cumprido. Além disso, o ex-treinador palmeirense desejou sorte ao clube na disputa da Copa Libertadores.

Marcelo iniciou a sua carta agradecendo o presidente Paulo Nobre e ao diretor de futebol Alexandre Mattos. "Quero aqui enfatizar que as palavras que direi agora são sem hipocrisia alguma. Realmente, gostaria de deixar meu muito obrigado a toda a diretoria da Sociedade Esportiva Palmeiras, desde o Paulo Nobre e o Alexandre Mattos até os demais integrantes da direção. Eles estiveram ao lado da comissão técnica do início ao fim da minha passagem, tanto nos bons quanto nos maus momentos", escreveu, para depois citar os funcionários do Palmeiras e os jogadores do Palmeiras, garantindo que nunca houve qualquer problema de relacionamento.

"Quero expressar também minha gratidão aos funcionários do clube, pessoas competentes e dedicadas, que sempre tiveram atenção, carinho e respeito conosco, na fase de críticas ou na de glórias; ao grupo de jogadores, que sempre se doou ao máximo, independentemente de certos rumores externos que ocorreram, sobretudo preservando o bom ambiente ao longo desses mais de oito meses", disse.

O treinador também destacou a importância da conquista do título da Copa do Brasil no ano passado, citando a pressão que enfrentou para levar o Palmeiras a voltar a ser campeão. "Já havia alguns anos que um título não era conquistado pelo Palmeiras, e a pressão por campanhas vitoriosas era nítida, assim como acontece em qualquer outra agremiação da grandeza deste clube. Justamente por isso, a Copa do Brasil me traz um alento muito grande, pois, como disse em algumas ocasiões, no futebol não se conquista nada em sorteio de loteria, então, uma parte dos nossos objetivos foi alcançada. Por isso, sem dúvida, saio com uma enorme satisfação por ter feito parte de um momento especial da história do Palmeiras", comentou.

O treinador também classificou a saída do Palmeiras como um "sonho interrompido", o de ser campeão da Libertadores. "Todavia, deixo o clube com o sonho interrompido. Assim como era meu pensamento em outros trabalhos, prezo sempre por cumprir o contrato até o fim. Além disso, ser campeão da Libertadores é também um desejo meu e compartilhava desse sentimento com cada palmeirense que conversei", afirmou.

Contratado no dia 15 de junho do ano passado, Marcelo Oliveira dirigiu o time em 53 jogos, com 24 vitórias, 11 empates e 18 derrotas. Ele comandou o Palmeiras na conquista da Copa do Brasil no ano passado, mas desde sua chegada ao clube, não conseguiu dar um padrão tático que passasse confiança aos torcedores.

Enquanto a diretoria negocia com Cuca para ocupar o cargo de técnico, Alberto Valentim assume interinamente o comando da equipe e será o treinador no clássico com o São Paulo, domingo, no Pacaembu, pelo Campeonato Paulista.