22°
Máx
17°
Min

Messi festeja volta à seleção com gol, mas vira dúvida para jogo com a Venezuela

Lionel Messi voltou de forma positiva ao time nacional (Foto: Gil Leonardi/ Imprensa MG ) - Messi festeja volta à seleção com gol
Lionel Messi voltou de forma positiva ao time nacional (Foto: Gil Leonardi/ Imprensa MG )

Depois de ter anunciado a sua aposentadoria da seleção argentina após a decepcionante derrota nos pênaltis para o Chile na final da Copa América Centenário, em junho, nos Estados Unidos, Lionel Messi voltou de forma positiva ao time nacional ao marcar o gol da vitória por 1 a 0 sobre o Uruguai, na noite desta quinta-feira, em Mendoza (ARG), pelas Eliminatórias Sul-Americanas da Copa do Mundo de 2018.

O triunfo garantiu aos argentinos o topo do qualificatório para o Mundial e foi importante para o astro do Barcelona ganhar ânimo com a camisa do país após ser convencido a desistir de sua aposentadoria da seleção.

Após o confronto, Messi comemorou o bom retorno ao time nacional, com o qual ainda luta para conquistar o seu primeiro título pela seleção principal após seguidas decepções, sendo a maior delas a derrota na final da Copa do Mundo de 2014, diante da Alemanha, no Maracanã.

"Começar outra vez do zero era muito difícil, acreditava que era uma decisão muito difícil. Mas me alegro por estar aqui novamente", afirmou o atacante, lembrando que não foi fácil voltar atrás em sua decisão de não vestir a camisa da seleção nacional.

Entretanto, ele reconheceu que a comoção mundial pela sua volta à seleção, o carinho que recebeu dos torcedores antes do retorno e o desejo do técnico Edgardo Bauza para que isso ocorresse pesaram para que pudesse defender a Argentina novamente.

"Foi um golpe muito duro novamente estar tão perto (do título) e não ser capaz de conquistá-lo depois de tanto esforço e sacrifício ", afirmou Messi, ao recordar a derrota para os chilenos na decisão da Copa América Centenário, sendo que em 2015 os argentinos também caíram nos pênaltis diante do rival na final da mesma competição, em Santiago.

"Eu não enganei ninguém quando disse que não tinha mais nada a buscar com a seleção, disse aquilo em um momento de decepção e porque estava sentindo isso. Naquele momento eu pensava que era assim, mas depois as coisas foram mudando, senti o carinho das pessoas e aqui estou outra vez, mas naquele momento eu disse a verdade", enfatizou, confiante de que um dia finalmente será campeão de uma competição com a seleção principal após dizer que lhe "escaparam" três títulos em três finais seguidas com a Argentina. "Sei que em algum momento isso irá acontecer", aposta.

DÚVIDA PARA TERÇA - Apesar da alegria de ter voltado ao time nacional com um gol decisivo, Messi se tornou dúvida da Argentina para o confronto diante da Venezuela, terça-feira, fora de casa, pela oitava rodada das Eliminatórias. O jogador admitiu que está sofrendo com "muitas dores no púbis desde antes da partida contra o Uruguai".

Ele evitou se colocar como desfalque contra os venezuelanos, mas lembrou que pode ser um risco comprometer a sua temporada com um possível agravamento da lesão. "Vamos ver, eu quero sempre estar em campo. Sempre digo isso, mas também teremos muitos jogos importantes pela frente", afirmou.

Ex-técnico do São Paulo, Bauza, por sua vez, estreou com vitória no comando da seleção argentina e festejou o importante triunfo, mas também não assegurou a presença do astro do Barcelona no duelo de terça-feira. "Não sabemos se Messi vai poder jogar na Venezuela. Acabou o jogo contra o Uruguai dolorido, o bom é que pôde suportar a dor e isso mostra a sua coragem", afirmou o comandante.

"Vamos esperar 48 horas, ver como responde ao descanso e seguramente a alguma medicação. Vamos falar com ele para ver como está e se pode jogar contra Venezuela", completou Bauza, confirmando também que o púbis do atleta está inflamado e avisando que não forçará a escalação do jogador em nenhuma hipótese: "Não vamos arriscar absolutamente para nada, vamos esperar para ver como ele estará".