27°
Máx
13°
Min

Michel Bastos e Wesley sofrem agressão em invasão da torcida ao CT do São Paulo

O meia Michel Bastos e o volante Wesley foram alvos de agressões por parte de torcedores que invadiram o CT do São Paulo, na Barra Funda, na manhã deste sábado. A assessoria de imprensa do clube confirmou a agressão, mas não revelou detalhes sobre o atos de violência.

Michel Bastos e Wesley foram dois dos primeiros jogadores a serem abordados pelos torcedores assim que entraram no CT, entoando cânticos em que pediam "respeito" ao time, entre palavrões. Policiais e seguranças do clube tentaram conter os invasores, mas não conseguiram e o treino desta manhã teve que ser paralisado.

A dupla, assim como os demais atletas, estavam no gramado e não tiveram tempo de voltar para os vestiários. O meia e o volante foram insultados, ouviram cobranças dos torcedores e foram agredidos fisicamente.

Os torcedores conversaram com diversos atletas, entre eles o volante Hudson e o zagueiro Lugano. O capitão são-paulino tentou acalmar os ânimos e conversou com os invasores. O uruguaio, aliás, foi um dos únicos poupados das críticas, ao lado do técnico Ricardo Gomes.

RETROSPECTO - O São Paulo tem tido resultados ruins na temporada. A equipe paulista está na 11ª colocação do Campeonato Brasileiro, com 27 pontos, dez a menos que o Flamengo, primeiro na zona de classificação para a Copa Libertadores. A campanha é de sete vitórias, seis empates e oito derrotas. Em casa, o tricolor venceu apenas quatro partidas em casa.

Somando Campeonato Paulista e Libertadores, torneios em que foi eliminado, e Brasileiro, o tricolor acumula 20 derrotas, sendo metade como mandante. Na quarta-feira, o time paulista foi surpreendido pelo Juventude, pela Copa do Brasil. O time da Série C do Brasileiro venceu o time paulista por 2 a 1, no Morumbi.

FIM DO APOIO - Há dois meses, a diretoria do São Paulo deu fim ao apoio financeiro que fornecia às torcidas organizadas. A medida foi tomada por pressão de torcedores que não fazem parte das organizações.

A reclamação se deu por conta dos benefícios recebidos pelos membros das organizadas, que causaram um tumulto após a eliminação do time na Libertadores para o Atlético Nacional, da Colômbia.