22°
Máx
16°
Min

Na volta ao Pacaembu, Corinthians empata com Cruzeiro e dá 'título' ao Palmeiras

(Foto: Divulgação/Marcos Bezerra/Estadão) - Na volta ao Pacaembu, Corinthians empata com Cruzeiro
(Foto: Divulgação/Marcos Bezerra/Estadão)

Na volta à sua antiga casa, o estádio do Pacaembu, em São Paulo, o Corinthians apresentou os velhos defeitos e não passou do empate por 1 a 1 com o Cruzeiro, pela 19.ª rodada do Campeonato Brasileiro, resultado que garantiu o simbólico título de campeão do primeiro turno ao Palmeiras. E o técnico Cristóvão Borges ouviu gritos de "burro".

Além de perder a chance de reassumir a liderança, o Corinthians permanece no terceiro lugar, já que o Atlético Mineiro derrotou a Chapecoense. Com o resultado, o time alvinegro fica com 34 pontos. Já o Cruzeiro chega aos 19 e ainda está na zona de rebaixamento, mas pode sair já na próxima rodada.

O jogo tinha um ar nostálgico para o torcedor do Corinthians. Desde 2014 o time não entrava no Pacaembu como mandante, período em que utilizou o Itaquerão como sua casa - a arena está sendo usada para a Olimpíada do Rio. Faixas com os dizeres "Saudosa maloca" foi espalhada pelo estádio e os corintianos esperavam que a energia da antiga casa inspirasse os jogadores, que precisavam de uma vitória de pelo menos três gols de diferença para assumir a liderança.

Mais importante do que liderar, era vencer para se manter na parte de cima da tabela de classificação, como Cristóvão Borges alertou antes da bola rolar. O problema, porém, é que o time não apresentou nem metade daquilo que se esperava. O gol no início do jogo parecia que seria um indício de que a goleada estava por vir, mas foi só uma ilusão.

Recuperado de dores nas costas, Marquinhos Gabriel foi a surpresa na escalação do lado do Corinthians. No Cruzeiro, a novidade foi a presença do jovem Lucas França no gol, em substituição a Fábio, suspenso. Todos esperavam por Elisson, mas o técnico Mano Menezes resolveu dar um voto de confiança ao garoto, que teve muito azar.

Em seu primeiro jogo como profissional, Lucas França precisou de pouco mais de um minuto para ser vazado. No primeiro ataque do jogo, Marquinhos Gabriel cruzou, Bruno Rodrigo cortou e a bola sobrou para Giovanni Augusto encher o pé. A bola desviou em Edimar e enganou o goleiro do Cruzeiro.

Pouco depois, aos seis minutos, o lance mais polêmico da partida. Ábila recebeu na frente da área, tocou por cima de Cássio e em seguida foi derrubado pelo goleiro, mas o árbitro mandou o jogo seguir e ainda deu cartão amarelo para o cruzeirense.

Enquanto no primeiro tempo, o Corinthians ditou o ritmo de jogo, na segunda etapa a partida foi bem mais equilibrada e o Cruzeiro soube aproveitar melhor as poucas oportunidades. Aos 20 minutos, após ficar mais de um minuto com toque de bola, sem ser incomodado, o Cruzeiro empatou. Rafael Sóbis cruzou da esquerda e Ábila encheu o pé.

DECEPÇÃO - O gol sofrido fez com que o Corinthians voltasse a avançar a marcação e tentar aproveitar melhor o fato de estar em sua segunda casa. Por pouco, o segundo gol não saiu por um acaso. Bruno Henrique chutou na frente da área, o jovem Lucas França deixou a bola passar por baixo de suas pernas, mas conseguiu se recuperar e salvou em cima da linha.

A pressão continuou e, então, o velho problema do Corinthians ficou mais evidente: a falta de qualidade na finalização. Cristóvão Borges colocou Marlone no lugar de Romero. A vontade do paraguaio foi valorizada pelos torcedores, que xingaram o treinador de "burro" logo após a mudança.

O que era uma vitória certa e um fim de turno em paz, se tornou uma pressão em cima de Cristóvão Borges e de seus comandados. Após as críticas, a torcida voltou a apoiar, mas não era suficiente. O time não conseguiu criar uma boa chance. Pelo contrário, Willian ainda acertou a bola no travessão nos minutos finais. E o empate acabou com um gosto amargo.

FICHA TÉCNICA

CORINTHIANS 1 x 1 CRUZEIRO

CORINTHIANS - Cássio; Fagner, Yago, Balbuena e Uendel; Bruno Henrique, Elias, Giovanni Augusto (Guilherme) e Marquinhos Gabriel; Romero (Marlone) e André. Técnico: Cristóvão Borges.

CRUZEIRO - Lucas França; Lucas, Manoel, Bruno Rodrigo e Edimar; Ariel Cabral (Willian), Henrique, Robinho e Arrascaeta (Rafinha); Rafael Sóbis e Ábila (Marcos Vinícius). Técnico: Mano Menezes.

GOLS - Giovanni Augusto, a 1 minuto do primeiro tempo; Ábila, aos 20 minutos do segundo tempo.

CARTÕES AMARELOS - Elias, André, Giovanni Augusto e Yago (Corinthians); Ábila e Lucas (Cruzeiro).

ÁRBITRO - Dewson Fernando Freitas da Silva (Fifa/PA).

RENDA - R$ 1.326.456,00.

PÚBLICO - 33.416 pagantes.

LOCAL - Estádio do Pacaembu, em São Paulo (SP).