22°
Máx
16°
Min

Operário encara o Paysandu em busca de vaga na Copa do Brasil

Fantasma fez o último treino antes da partida na tarde de terça-feira e hoje se concentra para o jogo decisivo (Foto: Letícia Cabral) - Operário encara o Paysandu em busca de vaga na Copa do Brasil
Fantasma fez o último treino antes da partida na tarde de terça-feira e hoje se concentra para o jogo decisivo (Foto: Letícia Cabral)

O Operário Ferroviário encara o Paysandu na noite desta quarta-feira (6) pelo jogo de volta da segunda fase da Copa do Brasil. A partida será no Estádio Curuzu, às 19h30. Com a vitória por 1 a 0 no jogo de ida, o Fantasma tem a vantagem do empate na volta.

Os jogadores e a comissão técnica do alvinegro chegaram em Belém na última segunda-feira (4). Na tarde de ontem (5), a equipe treinou no campo do Clube do Remo e, hoje, se concentra para a partida contra o Paysandu.

O zagueiro Sosa, o atacante Lucas Batatinha e o meia Marko Perovic foram os jogadores que não viajaram com a equipe. Os primeiros cumprem suspensão e o sérvio segue tratando lesão no tendão. Por outro lado, o lateral Danilo Baia, suspenso no primeiro jogo, e o atacante Juba, já recuperado de lesão, retornam ao time.

Ao todo, 18 atletas foram relacionados para a partida: os goleiros Juninho e Simão; os laterais Danilo Baia, Peixoto e Alessandro; os zagueiros Douglas Mendes, Marcelo Carvalho e Alisson; os volantes Chicão, Lucas, Serginho Paulista, Baiano e Thalles, os meias Washington e Thiago Silva e os atacantes Juba, Willian Lira e Cristian.

No jogo de ida da segunda fase, o Operário venceu o Paysandu por 1 a 0 no Estádio Germano Krüger. A partida aconteceu no dia 17 de maio e o gol do alvinegro foi marcado por Washington. Se empatar ou vencer a partida de volta, o Fantasma garante a classificação e enfrenta o Juventude (RS) na terceira fase.

O técnico Gerson Gusmão afirma que o grupo está concentrado em fazer o melhor em campo. “Até agora o Operário conseguiu passar da primeira fase como nunca havia conseguido na competição. Mas nós queremos mais e sabemos que podemos ir além. A preparação foi muito longa e oscilamos um pouco, mas isso é normal quando você fica 50 dias sem jogar uma partida oficial. Agora na reta final o grupo já retomou a concentração e o sentimento que nós vamos dar o nosso melhor lá”.

Colaboração Assessoria de Imprensa.