28°
Máx
17°
Min

Palmeiras bate o Santa Cruz, obtém 5ª vitória seguida em casa e assume liderança

A cada rodada o Palmeiras caminha mais firme na luta pelo título do Campeonato Brasileiro. Quando se joga em casa, então, como neste sábado, o passo é ainda mais significativo. Pelo que mostrou nos 3 a 1 sobre o Santa Cruz, no estádio Allianz Parque, em São Paulo, pela nona rodada, a equipe tem futebol mais do que suficiente para ter pernoitado como líder na tabela de classificação.

O time tem conseguido cumprir à risca a cartilha de quem está na luta pelo primeiro lugar. Vacilar em casa é proibido. O Palmeiras chegou à quinta vitória seguida como mandante, com 100% de aproveitamento, e assumiu a ponta da tabela de classificação no jogo em que não teria torcida. Um efeito suspensivo evitou o cumprimento da punição de portões fechados imposta pelo Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) por confusões na partida contra o Flamengo.

A manutenção da liderança, com 19 pontos, depende de um tropeço do Internacional neste domingo, mas as expectativas são positivas, pois nesta terça-feira o Palmeiras volta a ser mandante. O adversário será o América-MG, que luta contra o rebaixamento. No que depender do nível da atuação deste sábado, a confiança chegará bem elevada.

A ambição do Palmeiras em ganhar em casa para pelo menos pernoitar na liderança fez o time atacar desde o início. Recém-promovido à elite, o Santa Cruz não parecia assustar, exceto pela retranca. A multidão de jogadores atrás da linha da bola obrigou a equipe paulista a tocar a bola com paciência.

Alguns minutos se passaram até o Palmeiras descobrir o atalho. Pelo lado direito conseguiu chegar com perigo, arrancar um cartão amarelo e fazer boas jogadas, quase sempre com Róger Guedes. A insistência derrubou o muro defensivo. Uma cobrança de lateral, aos 28 minutos, fez o goleiro Tiago Cardoso se atrapalhar. Na sobra, Dudu chutou forte e no alto para fazer 1 a 0.

A vantagem era pouca, até por alguns raros sustos do Santa Cruz, quase sempre em contra-ataques puxados por Grafite. Com amplo domínio e 11 finalizações antes do intervalo, o segundo gol do Palmeiras deixou o placar mais adequado. Jogada ensaiada aos 46 minutos rendeu um gol de falta de Jean e abraços efusivos de todos no banco para o técnico Cuca, mentor da cobrança.

A teórica vitória encaminhada levou um golpe no começo da segunda etapa. Grafite, em posição duvidosa por impedimento, marcou de cabeça aos cinco minutos para diminuir. Foi o primeiro gol sofrido pelo Palmeiras no estádio Allianz Parque desde a chegada de Cuca. O time, que vinha de cinco jogos anteriores com 100% de aproveitamento em casa, quase levou empate no lance seguinte com Keno.

Os sustos não fizeram o time ficar nervoso. A melhor parte da atuação viria depois. Com tabelas rápidas e bons avanços pela direita, o Palmeiras continua a pressionar. Dudu ampliou aos 20 minutos após outra jogada de Róger Guedes. O atacante marcou duas vezes e, assim, compensou o jejum por não fazer gol desde a vitória sobre o Corinthians, em abril.

A atuação decisiva o fez sair aplaudido de campo, assim como o restante do time. Se mantiver o poderio em casa e a comunhão com a torcida, o Palmeiras seguirá em caminhada firme na luta pelo título.

FICHA TÉCNICA

PALMEIRAS 3 x 1 SANTA CRUZ

PALMEIRAS - Fernando Prass; Jean, Edu Dracena, Vitor Hugo e Egídio; Moisés (Thiago Santos), Tchê Tchê e Cleiton Xavier (Cristaldo); Róger Guedes e Dudu (Fabrício); Gabriel Jesus. Técnico: Cuca.

SANTA CRUZ - Tiago Cardoso; Vitor (Mário Sérgio), Néris, Danny Morais e Tiago Costa; Uillian Correia, João Paulo (Wallyson) e Lelê (Daniel Costa); Arthur, Keno e Grafite. Técnico: Milton Mendes.

GOLS - Dudu, aos 28, e Jean, aos 46 minutos do primeiro tempo; Grafite, aos 5, e Dudu, aos 20 minutos do segundo tempo.

CARTÕES AMARELOS - Róger Guedes (Palmeiras); Néris e João Paulo (Santa Cruz).

CARTÃO VERMELHO - Uilian Correia (Santa Cruz).

ÁRBITRO - Eduardo Aquino Valadão (GO).

RENDA - R$ 2.167.071,76.

PÚBLICO - 34.162 pagantes.

LOCAL - Estádio Allianz Parque, em São Paulo (SP).