21°
Máx
17°
Min

Palmeiras vacila em casa e cede empate à Ponte Preta

Com a presença do campeão olímpico Gabriel Jesus somente na torcida, o Palmeiras empatou em 2 a 2 com a Ponte Preta, neste domingo, no Allianz Parque, em São Paulo. A partida foi emocionante, cheia de alternativas e mostrou que o técnico Cuca precisa se preocupar um pouco mais com o sistema defensivo do líder do Campeonato Brasileiro.

O jogo começou muito disputado e, logo no primeiro minuto, o atacante Rafael Marques exagerou na força de vontade e levou um cartão amarelo após dar um carrinho em Reinaldo, no campo de ataque. Quatro minutos depois, foi a vez do zagueiro Fábio Ferreira receber a advertência por uma entrada mais dura no próprio Rafael Marques.

Bem armada, a Ponte Preta tocava a bola e avançava com velocidade. O time de Campinas quase abriu o placar aos sete minutos, quando Nino Paraíba deu excelente lançamento para Wendel, que entrou sozinho e tentou tocar na saída de Jailson, mas o goleiro fez boa defesa.

Depois de um período de jogo truncado, o Palmeiras abriu o placar aos 15 minutos, com Rafael Marques, após linda jogada de Róger Guedes - ele ganhou dividida pela direita, passou pela marcação de Reinaldo e entrou na área em velocidade para cruzar rasteiro para o atacante que substitui o medalhista Gabriel Jesus apenas rolar para o fundo do gol.

O gol palmeirense não mudou o panorama da partida, que continuou muito disputada no meio de campo. A Ponte Preta assustou aos 26, quando Clayson limpou Tchê Tchê e Zé Roberto e bateu firme, mas Jailson espalmou. Travado, o Palmeiras não conseguiu chegar dentro da área adversária com qualidade para marcar o segundo gol. O time só encontrou uma boa chance aos 40 minutos, quando Róger Guedes tabelou com Cleiton Xavier, dominou no peito e bateu, mas a bola subiu e passou por cima da meta de Aranha.

No intervalo, o atacante Gabriel Jesus, que assistiu o jogo em um camarote ao lado do goleiro Fernando Prass e do atacante Lucas Barrios, que se recuperam de contusões, desceu ao gramado para receber uma homenagem pela conquista do ouro nos Jogos Olímpicos do Rio. Lances do atacante durante a olimpíada foram mostrados nos telões do estádio e os torcedores ovacionaram o jogador.

Na segunda etapa, a Ponte voltou com Thiago Galhardo no lugar de Maicon e o time ganhou qualidade no passe. No Palmeiras, Egídio voltou no lugar de Zé Roberto. A primeira boa chance foi do Palmeiras, com Tchê Tchê, que arriscou de fora da área e a bola passou perto do travessão.

Aos seis minutos, a Ponte Preta chegou ao empate. Em um lance confuso dentro da área alviverde, William Pottker dividiu com Vitor Hugo e ficou no chão. A bola sobrou para Clayson, que também caiu, e ninguém do Palmeiras conseguiu dar um chutão para frente. Na sequência Wendel mandou para a área e Wellington Paulista, sozinho e em posição legal, desviou na saída de Jailson para fazer o gol.

O gol da Ponte fez o jogo melhorar muito. Allione entrou no lugar de Cleiton Xavier e o time foi para cima. Aos 11, a bola foi levantada na área, Róger Guedes cabeceou, a bola passou por Rafael Marques e ia para o gol, mas Aranha se esticou todo e mandou para escanteio.

Depois de pressionar muito, o Palmeiras desempatou o jogo. Jean cobrou falta pela direita e mandou na área, mas Aranha saiu mal do gol. Rafael Marques ajeito para trás de cabeça e o zagueiro Thiago Martins testou firme para marcar o segundo do alviverde. O problema foi que o time do técnico Cuca nem teve tempo para comemorar. Aos 27, William Pottker recebeu sozinho, partiu em disparada do meio-campo, ganhou na corrida de Egídio e bateu forte no canto direito - a bola desviou no lateral-esquerdo e Jailson não conseguiu defender.

Os sistemas defensivos dos dois times erravam muito e o jogo ficou emocionante. A Ponte Preta era perigosíssima no contra-ataque, mas o goleiro Aranha passou a errar muito nas saídas de bola. A equipe de Campinas passou a ganhar tempo, tocar bola no campo de ataque e prender os donos da casa. Até o fim, o alviverde não teve mais nenhuma boa chance para marcar o gol da vitória.

Na 21ª rodada, a segunda do segundo turno, o Palmeiras continua líder do Brasileirão - mas agora com uma diferença mais apertada para os outros clubes que também brigam pelo título. Tem 40 pontos, contra 36 do Santos, que enfrenta o Coritiba, fora de casa, ainda neste domingo. O Atlético Mineiro subiu para o segundo lugar ao vencer, mais cedo, o Atlético-PR. Agora soma 38 pontos.

FICHA TÉCNICA:

PALMEIRAS 2 x 2 PONTE PRETA

PALMEIRAS - Jailson; Jean, Thiago Martins, Vitor Hugo e Zé Roberto (Egídio); Tchê Tchê, Moisés e Cleiton Xavier (Allione); Dudu, Róger Guedes (Thiago Santos) e Rafael Marques. Técnico: Cuca.

PONTE PRETA - Aranha; Nino Paraíba, Douglas Grolli, Fábio Ferreira e Reinaldo; João Vitor, Wendel (Abuda) e Maycon (Thiago Galhardo); Clayson, William Pottker (Rayner) e Wellington Paulista. Técnico: Eduardo Baptista.

GOLS - Rafael Marques, aos 15 minutos do primeiro tempo. Wellington Paulista, aos 7, Thiago Martins, aos 24, e William Pottker, aos 27 minutos do segundo tempo.

CARTÕES AMARELOS - Rafael Marques, Fábio Ferreira, Reinaldo, Nino Paraíba, Thiago Martins, Thiago Galhardo, Aranha, Thiago Santos, João Vitor.

ÁRBITRO - Heber Roberto Lopes (SC).

RENDA - R$ 1.866.689,88.

PÚBLICO - 29.183 pagantes.

LOCAL - Allianz Parque, em São Paulo (SP).