28°
Máx
17°
Min

Panamá bate a Bolívia por 2 a 1 na estreia da Copa América Centenário

(Foto: Divulgação)  - Panamá bate a Bolívia por 2 a 1 na estreia da Copa América Centenário
(Foto: Divulgação)

O Panamá precisou de apenas uma partida para conseguir sua primeira vitória na história da Copa América. Estreante na competição, a seleção contou com a estrela de seu principal jogador, o atacante Blas Pérez, para fazer 2 a 1 na Bolívia nesta segunda-feira, em Orlando, e largar bem na edição que comemora o centenário do torneio continental.

Com um gol logo no início e outro já aos 41 minutos do segundo tempo, Pérez, de 35 anos, foi o herói da vitória panamenha na primeira partida do país em uma Copa América após 44 edições de ausência no torneio. Ex-atacante do Corinthians, Juan Carlos Arce foi o autor do gol boliviano.

Apesar do resultado, Panamá e Bolívia devem ficar longe da briga pela classificação, já que integram o Grupo D do torneio, o mesmo que conta com o atual campeão Chile e a vice Argentina, que se enfrentam ainda nesta segunda-feira em Santa Clara. Na próxima sexta, os panamenhos pegam os argentinos e os bolivianos duelam com os chilenos.

Em sua primeira experiência no torneio, o Panamá foi logo indo para cima e teve as primeiras oportunidades. Aos cinco minutos, Torres cobrou falta de longe e quase encobriu Lampe, que precisou dar um tapa na bola para escanteio. Aos sete, Pérez arrancou pela esquerda, cortou para o meio e deu lançamento perfeito para Cooper, que chegou batendo de primeira e isolou.

O lado esquerdo se apresentava como ótima opção para o Panamá, e foi por ali que a seleção abriu o placar. Aos 10 minutos, Cooper roubou a bola em saída errada da Bolívia e tocou para Quintero, que cruzou para a marca do pênalti. Blas Pérez bateu no canto direito de Lampe para marcar.

O gol pareceu acordar a Bolívia, que só então chegou ao campo de ataque e assustou pela primeira vez. Aos 12 minutos, Arce aproveitou cruzamento da esquerda e cabeceou em cima de Penedo. Quatro minutos depois, foi a vez de Eguino, após cobrança de falta, desviar para boa defesa do goleiro panamenho.

O ritmo alucinante diminuiu um pouco e o Panamá voltou a controlar as ações. Aos 26, Blas Pérez aproveitou a linda jogada de Quintero pela esquerda e quase marcou. Principal jogador da equipe, Pérez voltou a assustar aos 29, quando roubou a bola no ataque. Mas aí, exagerou no preciosismo quando estava no mano a mano com o marcador, tentou encobrir o goleiro e facilitou para a defesa boliviana.

A Bolívia voltou do intervalo com duas alterações. Meleán e Campos foram a campo, e não demorou para que a equipe igualasse o placar. Aos sete minutos, Smedberg cobrou falta para a área, Cummings se atrapalhou ao tentar afastar e a bola ficou na risca da pequena área para Arce, que encheu o pé e mandou para a rede.

A chuva começou a cair em Orlando e o nervosismo das duas seleções em busca da vitória tomou conta da partida. Entradas duras de ambos os lados e discussões entre os jogadores e tornaram comuns, e o nível técnico caiu.

Sem muito espaço para atacar, as duas seleções pareciam mais preocupadas em não levar o segundo do que em marcar o gol da vitória. Somente em um lampejo de Cooper, o Panamá quase marcou. Aos 28 minutos, o camisa 11 deu lançamento perfeito no peito de Quintero, que dominou já cortando a marcação e bateu no canto direito. Lampe fez ótima defesa.

Na reta final, o Panamá cresceu e quase marcou aos 38. Após cobrança de lateral da direita, o goleiro Lampe socou errado e a sobra ficou com Miller, que bateu para o gol. No meio do caminho, Tejada interceptou e, mesmo sem goleiro, bateu por cima. Mas ainda haveria tempo para o segundo. Aos 41, o mesmo Tejada tocou para Arroyo, que ganhou no corpo da marcação e rolou no meio para Blas Pérez tocar para a rede.

FICHA TÉCNICA:

PANAMÁ 2 X 1 BOLÍVIA

PANAMÁ - Penedo; Adolfo Machado, Baloy, Cummings (Luis Henríquez) e Roderick Miller; Aníbal Godoy, Gabriel Gómez, Cooper (Arroyo) e Alberto Quintero; Blas Pérez e Gabriel Torres (Luis Tejada). Técnico: Hernán Gómez.

BOLÍVIA - Lampe, Edward Zenteno, Nelson Cabrera e Eguino (Alejandro Meleán); Diego Bejarano, Fernando Saucedo (Jhasmany Campos), Azogue e Marvin Bejarano; Smedberg, Juan Carlos Arce e Duk (Rodrigo Ramallo). Técnico: Julio Baldivieso.

GOLS - Blas Pérez, aos 10 minutos do primeiro tempo. Juan Carlos Arce, aos sete, e Blas Pérez, aos 41 minutos do segundo tempo.

ÁRBITRO - Ricardo Montero Araya (Fifa/Costa Rica).

CARTÕES AMARELOS - Aníbal Godoy, Cummings, Blas Pérez, Cooper, Baloy, Adolfo Machado (Panamá); Juan Carlos Arce, Azogue (Bolívia).

RENDA E PÚBLICO - Não disponíveis.

LOCAL - Estádio Citrus Bowl, em Orlando (EUA).