21°
Máx
17°
Min

Paraná Clube afirma que nota da FPF é odiosa e desnecessária

(Imagem: Divulgação/Paraná Clube) - Paraná Clube afirma que nota da FPF é odiosa e desnecessária
(Imagem: Divulgação/Paraná Clube)

O Paraná Clube criticou a nota da Federação Paranaense de Futebol divulgada nesta terça-feira (5), na qual a FPF promove diversas críticas em relação às declarações do técnico Claudinei Oliveira depois da partida diante do Foz do Iguaçu, no último domingo (3). O clube afirmou que a atitude é desnecessária e “demonstra a forma amadora como muitos pontos são tratados pela entidade que rege o futebol paranaense.”

O time da Vila Capanema afirmou que a nota tenta criar a impressão de que a competição não tem erros. “A FPF, em sua nota, pinta um cenário lúdico, onde o Campeonato Paranaense é maravilhoso e não apresenta falhas.” O clube destacou que teria tentado tratar os assuntos citados pela Federação pelos bastidores.

“Quando reclamou das arbitragens, preferiu primeiro o caminho direto com a federação e com a Comissão de Arbitragem, no sentido de alertar para as falhas – e que não foram poucas – ao longo da fase classificatória do Paranaense”, afirmou o presidente do Paraná, Leonardo de Oliveira, que assinou a noite divulgada nesta noite.

O Tricolor ainda reitera que pagou a taxa de R$500 para mover uma ação contra o árbitro Adriano Milczvski, que dirigiu a partida do Paraná com o Atlético, diferente do que a Federação disse em nota.O time da Vila Capanema também ressaltou durante a nota divulgada no site oficial do Clube os vários erros de arbitragem que teriam prejudicado a equipe durante o campeonato.

O clube ainda defendeu o técnico Claudinei Oliveira e apoiou o inconformismo com a marcação do jogo de volta diante do Foz do Iguaçu às 11h. Segundo o Tricolor, na última sexta-feira, a federação tinha garantido que o jogo do próximo domingo seria às 16h. “A FPF, através de seu diretor técnico Marcius Koehler, havia informado ao departamento de futebol do Paraná na sexta-feira anterior à rodada, que o jogo do dia 10 de abril seria disputado às 16h, sem possibilidade de mudança.”

O clube ressaltou que desde o início do campeonato, ainda não jogou nesse horário. Mesmo assim, segundo a nota, o Tricolor “procurou até o último instante, a busca por um melhor horário para a partida. Comprovadamente, o jogo às 11h não é o ideal para a condição atlética dos jogadores.”

No entanto, a resposta que o clube teria recebido da Federação não agradou. “Na última tentativa, a diretoria do Paraná recebeu do presidente da FPF, Hélio Cury, a resposta de que ‘talvez não tivesse tempo para tratar do assunto, pois estaria ocupado respondendo, via carta, às críticas do técnico Claudinei Oliveira’”.

O clube ainda esclarece um dos trechos da nota em que a Federação diz que Claudinei Oliveira chamou a equipe do Londrina de “típico time da Província”. O Paraná afirmou que, primeiramente, não foi Claudinei, mas sim o diretor de futebol Durval Lara Ribeiro que teria dado tal declaração. Para esclarecer a frase, o clube elencou quatro pontos:

  1. “O gramado do VGD foi cortado de forma esdrúxula, com o claro objetivo de prejudicar o toque de bola do Paraná Clube na faixa central do campo.
  2. A delegação teve que desembarcar a poucos metros da torcida do Londrina, sendo que o local não foi isolado, diferente do que ocorre em outras praças e, em especial na Vila Capanema, onde primamos pela segurança.
  3. A péssima iluminação do estádio não estava na sua plenitude e mesmo com as constantes quedas, o jogo não foi paralisado pela arbitragem.
  4. Para acompanhar o jogo, nossos dirigentes e integrantes da comissão técnica tiveram que passar em meio à torcida do Londrina devido à ausência de um local apropriado no VGD”.

Na nota, o clube afirmou que em nenhum momento quis ofender a instituição Londrina Esporte Clube ou os moradores da região. “Apenas se cobrou maior seriedade na forma como o futebol profissional do Paraná deve ser conduzido, evidenciando o caráter construtivo, até mesmo de aperfeiçoamento e melhora do campeonato, declarações estas a que todas as instituições, em qualquer nível, público ou privado, não estão imunes”.

O Paraná afirmou que lamenta a forma com a FPF se posicionou, mas destacou que acredita na seriedade da Federação enquanto instituição. “O que o Paraná Clube sempre buscará é a igualdade de tratamento entre os filiados da FPF, assim como o respeito aos seus direitos.”

O time da Vila Capanema termina a nota reforçando o apoio às declarações de Claudinei Oliveira que, segundo o clube, “nada mais fez do que expor algo já sabido por todos e amplamente discutido pela imprensa em outras oportunidades, ou seja, sequer o assunto é novo para ser alvo de tamanha ira”.

Confira a nota na íntegra clicando AQUI.