21°
Máx
17°
Min

Polícia percebe 'clima de guerra' entre torcidas de Palmeiras e Corinthians

(Foto: Divulgação)  - Polícia percebe 'clima de guerra' entre torcidas de Palmeiras e Corinthians
(Foto: Divulgação)

A Mancha Alviverde, principal torcida organizada do Palmeiras, declarou guerra à torcida do Corinthians nesta semana. Após essa reação, a expectativa da polícia é de que novos conflitos aconteçam entre as torcidas rivais ainda no Campeonato Paulista.

"A gente percebe um clima de animosidade no ar, existe um clima de guerra, mas a Polícia Militar vai fazer de tudo para prevenir situações de violência", afirmou Luiz Gonzaga, tenente-coronel da Polícia Militar e responsável pelo policiamento nos clássicos. "Estamos percebendo que realmente existe alguma coisa no ar", completou.

Durante o clássico deste domingo, no Pacaembu, as torcidas se provocaram em vários momentos da partida. Fora do estádio foram ouvidos rojões em vários momentos.

A Secretaria de Segurança Pública divulgou uma nota informando que o policiamento foi reforçado antes e depois do clássico vencido pelo Palmeiras. A linha verde do Metrô, por exemplo, contou com policiais militares dentro dos vagões na noite deste domingo. Durante os conflitos, 30 pessoas foram presas. "A PM acompanha a entrada e a saída das torcidas organizadas até o seu destino para evitar que se encontrem", informou o documento.

A declaração de guerra da torcida do Palmeiras foi dada como uma resposta à prisão de Deivison Correa, suspeito de ter participado do espancamento de dois diretores da torcida do Corinthians há cerca de um mês. Além da prisão, os policiais cumpriram um mandado de prisão na quadra da uniformizada do time alvinegro.

Logo após a apreensão, Sérgio Oliveira Pinto, delegado-assistente da Delegacia de Polícia de Repressão aos Delitos de Intolerância Esportiva (Drade), confirmou que os ânimos se acirram após a agressão. "Isso aumentou e, muito, a incidência de novos conflitos. Mas a nossa ação repressiva deve fazer isso diminuir", afirmou.

Antes dos conflitos entre si, as torcidas de Palmeiras e Corinthians viveram dias agitados na relação com seus próprios clubes. No mês de março, a torcida do Corinthians entrou em confronto com a PM em três jogos no estádio Itaquerão. O motivo, não confirmado pela polícia, seriam faixas de protesto estendidas pela torcida dentro da arena. No jogo contra o Oeste, as faixas não aparecem e também não houve conflitos.

Na semana passada, torcedores do Palmeiras invadiram o CT para protestar contra a crise que o clube vivia - eram quase quatro jogos sem vitória naquele momento. O torcida foi denunciada à PM pelo clube e proibida de levar instrumentos e faixas ao estádio.