23°
Máx
12°
Min

Real Madrid bate Atlético nos pênaltis e conquista Liga dos Campeões pela 11ª vez

Após empate por 1 a 1 no tempo regulamentar, o Real Madrid venceu o Atlético de Madrid na disputa das penalidades máximas, neste sábado, no estádio San Siro, em Milão, e conquistou o título da Liga dos Campeões da Europa pela 11.ª vez. A partida épica teve direito a pênalti desperdiçado, ídolo em noite de pouca inspiração, um "carrasco" inesperado e jogadores caindo com cãibras antes do apito final.

O duelo reeditou a final de dois anos atrás, em Lisboa, e teve novamente o mesmo vencedor. Curiosamente, com os 11 títulos, o Real Madri passou Milão com o maior número de títulos para uma única cidade - o Milan é heptacampeão e a Internazionale, tri.

Em uma partida de pouca inspiração do português Cristiano Ronaldo, que apareceu somente para converter a última cobrança de pênalti do Real Madrid, um protagonista de dois anos atrás chamou a responsabilidade. Sergio Ramos abriu o placar para o time merengue na primeira etapa. No entanto, o belga Ferreira Carrasco entrou em campo na segunda etapa e igualou o marcador depois que Griezmann bateu pênalti na trave.

Após o duelo exaustivo para os dois times, a decisão ficou para a disputa de penalidades máximas. Depois de oito cobranças perfeitas, quatro pelo Real e três pelo Atlético, o ídolo colchonero Juanfran mandou seu chute na trave direita. Na sequência, Cristiano Ronaldo garantiu o título. O português, no entanto, parou nos 16 gols na Liga dos Campeões deste ano e não conseguiu quebrar o recorde do torneio.

Com o título, o Real Madrid se classificou mais uma vez para o Mundial de Clubes da Fifa, no final do ano, no Japão. Em 2014, bateu o argentino San Lorenzo no Marrocos. Desta vez, já tem a companhia de Auckland City, da Nova Zelândia (Oceania), e América, do México (Concacaf). Faltam os campeões da Copa Libertadores (Conmebol), da Liga dos Campeões da Ásia, da Liga dos Campeões da África e o campeão japonês (país-sede).

O JOGO

A partida começou com as equipes partindo para cima e a primeira chance efetiva surgiu para o Atlético de Madrid aos quatro minutos. Koke completou cruzamento e obrigou Navas a fazer boa defesa. Em seguida, o Real Madrid respondeu com cobrança de falta de Bale em direção a Casemiro, que finalizou da pequena área e Oblak operou um milagre para evitar o gol do brasileiro.

Em uma partida apagada de Cristiano Ronaldo, Sergio Ramos apareceu para recolocar seu nome na história. Aos 14 minutos, Kroos bateu falta, Bale desviou de cabeça e Sergio Ramos se antecipou ao goleiro para fazer 1 a 0 e o seu segundo gol em uma final de Liga dos Campeões, repetindo a decisão de 2013/2014. O zagueiro estava em posição de impedimento por poucos centímetros.

Com o gol, o Real Madrid passou a controlar a posse de bola, mas não conseguiu furar o bloqueio rival. Após os 30 minutos, no entanto, foi o Atlético de Madrid que passou a jogar melhor e desperdiçou três boas chances com Griezmann antes do intervalo.

A segunda etapa começou com o Atlético de Madrid desperdiçando a primeira oportunidade de empatar o jogo. No primeiro minuto, a arbitragem viu pênalti de Pepe em Fernando Torres e Griezmann foi para a cobrança. No entanto, o atacante soltou o pé e a bola explodiu no travessão.

O Atlético de Madrid não se abateu com a penalidade perdida e foi para cima, mas Savic e Saúl não conseguiram buscar o empate. O Real Madrid só voltou com efetividade ao ataque aos 24 minutos, quando Benzema foi lançado por Modric, mas finalizou em cima do goleiro Oblak.

Aos 30 minutos, enfim, Cristiano Ronaldo apareceu com perigo em duas oportunidades, mas falhou diante do gol. Logo em seguida, aos 33, Ferreira Carrasco marcou o gol de empate em uma bela jogada do Atlético de Madrid. Juanfran recebeu lançamento nas costas da zaga e, de primeira, cruzou para o meio e o belga chegou para completar com força para a rede. Na comemoração, foi até as arquibancadas e ganhou um beijo da sua namorada.

Nos minutos finais, o nervosismo tomou conta do jogo e cresceu o número de discussões em campo. Já aos 47 minutos, Sergio Ramos matou cruzamento com um carrinho por trás e levou cartão amarelo. Gabi reclamou muito com a arbitragem, pedindo expulsão do rival, e também foi advertido pelo juiz.

PRORROGAÇÃO E PÊNALTIS

No primeiro tempo da prorrogação, o cansaço das duas equipes ficou evidente. Pelo lado merengue, o galês Gareth Bale caía no chão com cãibras, sem poder ser substituído porque o técnico Zidane já havia feito as três trocas. Já o Atlético de Madrid não conseguia encaixar o contra-ataque com velocidade e diminuiu a intensidade.

Na segunda etapa do tempo complementar, foi a vez das contrações musculares afetarem os jogadores do Atlético de Madrid. Como Cristiano Ronaldo praticamente sumiu em campo, o Real Madrid apostou nos cruzamentos, mas a zaga conseguiu se sobressair sobre os merengues.

Nas cobranças de pênalti, o Real Madrid abriu a contagem com gol de Lucas Vázquez e o Atlético respondeu com Griezmann, que desta vez mandou rasteiro para as redes. O brasileiro Marcelo chutou bem no canto esquerdo e Gabi empatou novamente com uma bola alta no lado direito. Gareth Bale correu e, com paradinha, converteu a terceira cobrança do Real, assim como fez Saúl Ñíguez.

Em mais uma ótima cobrança, Sérgio Ramos deslocou o goleiro e marcou o quarto. Na sequência, Juanfran chutou na trave e deixou para Cristiano Ronaldo aparecer, converter com segurança e correr para comemorar a 11.ª conquista da Liga dos Campeões do Real Madrid.

FICHA TÉCNICA

REAL MADRID 1 (5) x (3) 1 ATLÉTICO DE MADRID

REAL MADRID - Keylor Navas; Carvajal (Danilo), Pepe, Sergio Ramos e Marcelo; Casemiro, Kroos (Isco) e Modric; Bale, Benzema (Lucas Vázquez) e Cristiano Ronaldo. Técnico: Zinedine Zidane.

ATLÉTICO DE MADRID - Oblak; Juanfran, Savic, Godín e Filipe Luís (Lucas Hernández); Augusto Fernández (Ferreira Carrasco), Gabi, Koke (Partey) e Saúl Ñíguez; Griezmann e Fernando Torres. Técnico: Diego Simeone.

GOLS - Sergio Ramos, aos 15 minutos do primeiro tempo; Ferreira Carrasco, aos 33 minutos do segundo tempo.

CARTÕES AMARELOS - Pepe, Danilo, Sergio Ramos, Casemiro, Keylor Navas e Carvajal (Real Madrid); Gabi e Fernando Torres (Atlético de Madrid).

ÁRBITRO - Mark Clattenburg (Fifa/Inglaterra).

RENDA E PÚBLICO - Não disponíveis.

LOCAL - Estádio San Siro, em Milão (Itália).