26°
Máx
19°
Min

Santos atropela o São Paulo e encosta nos líderes do Brasileirão

(Foto: Divulgação)  - Santos atropela o São Paulo e encosta nos líderes do Brasileirão
(Foto: Divulgação)

Só um time jogou neste domingo no Pacaembu: o Santos. Superior do início ao fim, a equipe tomou conta do clássico com o São Paulo e venceu por 3 a 0. Com a cabeça nas semifinais da Copa Libertadores e vários desfalques, o São Paulo foi apenas coadjuvante e o placar só não foi maior porque o Santos relaxou no segundo tempo e tirou o pé.

Com 500 jogos na história do Pacaembu completados nesta tarde, o Santos se sente tão em casa no estádio paulistano, como se estivesse na Vila Belmiro. Por isso, usou a mesma tática de quando atua na Baixada: pressionar o adversário desde o início. A estratégia deu resultado antes do previsto pela comissão técnica graças à ajuda do goleiro são-paulino.

Com apenas 41 segundos de jogo, logo no primeiro ataque do Santos, Thiago Maia chutou fraco para o gol após o cruzamento de Gabriel. Denis não conseguiu fazer a defesa completa e deixou a bola para Vitor Bueno completar para as redes.

Se o Santos já tinha vantagem por causa dos desfalques do São Paulo, a situação ficou ainda mais favorável à equipe da Baixada depois do gol no primeiro minuto de jogo. Sem Thiago Mendes (fadiga muscular), Paulo Henrique Ganso (dores musculares) e Centurión (liberado para visitar a avó, que está hospitalizada na Argentina), o São Paulo era praticamente inofensivo e não levava perigo algum à defesa santista.

Além de marcar forte a saída de bola do adversário, o Santos era muito veloz nos contra-ataques. As bolas esticadas com frequência para Gabriel nas beiradas do campo eram um tormento para Lugano e Maicon. Somente nas jogadas pelos altos é que o São Paulo conseguia oferecer mais resistência ao Santos.

Mas também foi em um lance de bola parada que quase saiu o segundo do Santos. Aos 11 minutos, Lucas Lima cobrou escanteio fechado. Denis só acompanhou com os olhos e a bola acertou o travessão. O meia, inclusive, era quem ditava o ritmo do Santos. Além de distribuir bons passes e lançamentos para os companheiros, ele ajudava a marcação com desarmes precisos.

O São Paulo insistia nas bolas pelo alto e aos 33 minutos esteve perto do empate. Após cobrança do escanteio, Zeca quase marcou contra, mas Vanderlei conseguiu evitar. Gustavo Henrique também se complicou para afastar o perigo e a bola passou por cima do travessão.

Enquanto faltava criatividade aos jogadores de meio-campo do São Paulo, o Santos trocava passes com qualidade e rapidez e, assim, envolvia o adversário. Não à toa, fez o segundo gol antes mesmo do intervalo. Aos 38, Lucas Lima, Gabriel e Victor Ferraz fizeram bela triangulação pela direita. O lateral cruzou na medida para Rodrigão, que só teve o trabalho de empurrar para o gol.

A boa vantagem construída no primeiro tempo permitiu que o Santos diminuísse o ritmo na etapa final. Mesmo assim, a equipe continuou superior. Faltou, no entanto, qualidade no arremate das jogadas de ataque.

O Santos controlava o São Paulo trocando passes no meio de campo, mas quando se aproximava da área não conseguia chegar ao gol. Acuado, o São Paulo apenas assistia ao adversário. Com 38 minutos de jogo, então, começaram os primeiros gritos de olé no estádio. O Santos colocou o São Paulo na roda e, assim, foi levando o jogo em banho maria. Mas ainda havia tempo para mais um.

Aos 44, Lucas Lima cobrou falta com categoria por cima da barreira, sem qualquer chance de defesa para Denis. Belo gol para coroar grande atuação do santista no Pacaembu. Para manchar ainda mais a infeliz tarde do São Paulo, Lugano ainda foi expulso.

Com o triunfo, o Santos chegou aos 19 pontos, em terceiro lugar no Brasileirão. Já o São Paulo permanece com 15. Na próxima quarta-feira, o Santos visita o Grêmio, enquanto o São Paulo receberá o Fluminense no Morumbi.

FICHA TÉCNICA

SANTOS 3 x 0 SÃO PAULO

SANTOS - Vanderlei; Victor Ferraz, Luiz Felipe, Gustavo Henrique e Zeca; Thiago Maia (Caju), Renato, Vitor Bueno (Yuri) e Lucas Lima (Jean Mota); Gabriel e Rodrigão. Técnico: Dorival Júnior.

SÃO PAULO - Denis; Caramelo, Maicon, Lugano e Matheus Reis; João Schmidt, Artur (Hudson), Luiz Araújo (Carlinhos) e Michel Bastos; Calleri e Ytalo (Daniel). Técnico : Edgardo Bauza.

GOLS - Vitor Bueno, no primeiro, e Rodrigão, aos 38 minutos do primeiro tempo; Lucas Lima, aos 44 minutos do segundo tempo.

ÁRBITRO - Raphael Claus (SP).

CARTÕES AMARELOS - Gabriel, Lucas Lima (Santos); Calleri, Hudson, Lugano (São Paulo).

CARTÃO VERMELHO - Lugano (São Paulo).

RENDA - R$ 862.720,00.

PÚBLICO - 19.740 pagantes.

LOCAL - Estádio do Pacaembu, em São Paulo (SP).