23°
Máx
12°
Min

São Paulo derrota Figueirense no Morumbi e se afasta da zona de rebaixamento

Um longo intervalo de dois meses terminou na manhã deste domingo, para alívio e tranquilidade do São Paulo no Campeonato Brasileiro. O time paulista bateu o Figueirense por 3 a 1 e voltou a vencer no Morumbi, feito obtido pela última vez em 10 de julho, quando ainda disputava a Copa Libertadores e o risco de rebaixamento era impensável. Para a felicidade dos 27 mil torcedores presentes no estádio, o hiato acabou no momento de maior necessidade e deu ao técnico Ricardo Gomes a primeira vitória no cargo.

Pela primeira vez no Brasileiro, o São Paulo começou a rodada pressionado pelo risco de entrar na zona que define os rebaixados. Com um ponto acima do Figueirense, que abria a zona de rebaixamento, o time do Morumbi contou com bom público para mudar o cenário negativo recente. O retrospecto em campo, com uma vitória nos dez últimos jogos, era tão ruim quanto nos bastidores, marcados por mudança na última semana no cargo de diretor-executivo de futebol.

Tão importante quanto o resultado era vencer bem e adquirir confiança. E isso o São Paulo conseguiu ao convencer e dominar o adversário como mandante, tarefa fundamental para não fazer feio no Brasileiro. Curiosamente, a vitória anterior no Morumbi pela competição havia sido por 3 a 0, diante do América-MG. Outro jejum acabou neste domingo: o time voltou a ter gols marcados por jogadores brasileiros, graças a Kelvin.

O JGO - Os dois meses sem vencer no Morumbi impulsionaram o São Paulo a começar o jogo com muita vontade. Há tempos não se via o time pressionar tanto o adversário e fazer por merecer o gol. Eram ataques intensos em sequência desde o minuto inicial, quando arriscou o primeiro chute, seguido por uma bola na travessão, aos 3, uma na trave, aos 18, além de boas defesas do goleiro rival.

O cerco sem gol pouco resolvia e até poderia gerar ansiedade ao longo da partida. Quando o fôlego para encurralar o Figueirense começava a diminuir, Chávez completou escanteio de cabeça para tirar de Gatito Fernández, aos 30, e abrir o placar. A vantagem fez jus ao ótimo futebol do São Paulo, principalmente pela força no lado direito, onde Kelvin, Buffarini e Wesley se revezavam para chegar à linha de fundo e levar perigo.

O 1 a 0 era pouco para garantir conforto ao São Paulo. A única finalização do Figueirense no primeiro tempo tinha sido com muito perigo e, logo no intervalo, a equipe visitante tratou de fazer duas substituições para corrigir a chegada ao ataque. A partida ficou mais equilibrada e um tanto lenta. Então, era preciso liquidar as ambições adversárias para não correr o risco de ter complicações.

A definição veio a partir dos 20 minutos. Cueva teve um pênalti defendido pelo goleiro, mas no rebote completou. Sete minutos depois, em um contra-ataque, Chávez serviu para Kelvin definir. Carlos Alberto ainda fez o de honra, para o Figueirense, ao converter pênalti nos minutos finais.

Com o resultado, o São Paulo chegou aos 31 pontos, mais perto do meio da tabela. O Figueirense estacionou nos 27, dentro da zona da degola. Na próxima rodada, o time paulista vai encarar o Cruzeiro novamente no Morumbi, na quinta-feira. A equipe catarinense receberá o lanterna América-MG, em Florianópolis, na quarta.

FICHA TÉCNICA:

SÃO PAULO 3 x 1 FIGUEIRENSE

SÃO PAULO - Denis; Buffarini, Maicon, Lyanco e Matheus Reis; Hudson; Wesley, Thiago Mendes, Cueva (Daniel) e Kelvin (Robson); Chávez. Técnico: Ricardo Gomes.

FIGUEIRENSE - Gatito Fernandez; Ayrton, Bruno Alves, Werley e Marquinhos Pedroso; Jackson Caucaia, Jefferson, Ferrugem (Rafael Silva), Dodô (Elvis) e Carlos Alberto; Lins. Técnico: Tuca Guimarães.

GOLS - Chávez, aos 30 minutos do primeiro tempo. Cueva, aos 20, Kelvin, aos 27, e Carlos Alberto (pênalti), aos 41 minutos do segundo tempo.

CARTÕES AMARELOS - Thiago Mendes, Kelvin, Dodô e Jefferson.

ÁRBITRO - Dewson Freitas da Silva (PA).

RENDA - R$ 688.491,00.

PÚBLICO - 27.365 pagantes.

LOCAL - Estádio do Morumbi, em São Paulo (SP).