22°
Máx
14°
Min

São Paulo joga mal, só empata com o Sport em casa e desperdiça chance de G4

(Foto: Divulgação/São Paulo) - São Paulo joga mal, só empata com o Sport em casa e desperdiça chance de G4
(Foto: Divulgação/São Paulo)

O nível de atuação do São Paulo semifinalista da Copa Libertadores deu lugar nesta quinta-feira ao fraco e nada empolgante futebol dos tempos de começo de temporada. O time finalizou pouco e ficou no empate sem gols com o Sport, no Morumbi, resultado que impediu a chegada ao G4 do Campeonato Brasileiro.

O placar de 0 a 0 foi o terceiro tropeço em casa em cinco jogos na competição. Foram oito pontos perdidos como mandante, com duas derrotas. Pela primeira vez na história em 17 ocasiões a equipe recebeu o Sport no Morumbi e não venceu a partida. Para piorar, Kelvin saiu com uma lesão muscular na coxa e no mínimo virou dúvida para a Libertadores - o primeiro duelo da semifinal é daqui a 13 dias.

Com 15 pontos, o São Paulo é só o sétimo colocado, ficando já sete pontos atrás do líder Palmeiras após 10 rodadas do Brasileirão. No domingo, a equipe visita o Santos, no Pacaembu, em jogo de exclusivamente santista, precisando se recuperar de dois empates seguidos.

Já o Sport segue na zona de rebaixamento do Brasileiro, com nove pontos. No domingo, a equipe pernambucana recebe a Chapecoense na Ilha do Retiro.

O JOGO - O São Paulo estreou a nova camisa dois do clube e vestiu o uniforme listrado como mandante no Morumbi pela primeira vez em 22 anos. Outra novidade no ambiente do jogo foi a liberação do estádio do Morumbi para voltar a receber torcedores no setor térreo. Com reparos no guarda-corpo e reforço na segurança, os assentos do pavimento só não tiveram grande presença de público - pouco mais de 11 mil torcedores ocuparam as mais de 60 mil cadeiras do Morumbi.

Em campo a principal novidade da equipe não solucionou a ausência de Calleri, suspenso. Ytalo foi escalado pela primeira vez como atacante no sétimo jogo pelo São Paulo. Antes improvisado como meia, o jogador deu duas cabeçadas perigosas. A culpa pela desempenho não foi tanto dele, mas sim de um time que pressionou bastante e finalizou muito pouco no primeiro tempo.

A liberdade imensa de Ganso para armar jogadas não teve proveito. Nas duas chances mais claras antes do intervalo, em uma ele chutou por cima e, na outra, o goleiro Magrão evitou o gol de Michel Bastos após passe do camisa 10.

A aparente facilidade em assustar o adversário se mostrou uma armadilha perigosa pelo relaxamento na marcação. Diego Souza dava trabalho nos contra-ataques e quase fez.

O segundo tempo praticamente só teve São Paulo no ataque. O time aumentou o cerco, ao fazer substituições para ficar mais ofensivo. O ataque povoado por jogadores velozes como Luiz Araújo e Centurión representou mais uma pressão numérica do que técnica. Finalizações tortas e passes errados consumiram as investidas.

A insistência pelo gol foi até os acréscimos. O Sport, na zona de rebaixamento, ganhou o máximo de tempo possível, teve a felicidade de ver as últimas chances do São Paulo não exigirem defesas de Magrão e comemorou o empate.

FICHA TÉCNICA:

SÃO PAULO 0 X 0 SPORT

SÃO PAULO - Denis; Bruno, Maicon, Rodrigo Caio e Matheus Reis; João Schmidt (Luiz Araújo) e Thiago Mendes; Kelvin (Centurion), Ganso e Michel Bastos; Ytalo (Alan Kardec). Técnico: Edgardo Bauza.

SPORT - Magrão; Samuel Xavier, Matheus Ferraz, Durval e Rodney Wallace; Rithely, Serginho (Rodrigo Mancha), Gabriel Xavier, Everton Felipe (Luiz Antônio) e Diego Souza; e Edmílson (Reinaldo Lenis). Técnico: Oswaldo de Oliveira.

ÁRBITRO - Rafael Traci (PR).

CARTÕES AMARELOS - Edmilson, Samuel Xavier (Sport).

PÚBLICO - 11.145 pessoas.

RENDA - R$ 321.680,00.

LOCAL - Estádio do Morumbi, em São Paulo.