23°
Máx
12°
Min

'Será vida ou morte', diz Lugano sobre jogo do São Paulo com o River Plate

O zagueiro Diego Lugano afirmou nesta segunda-feira que o confronto com o River Plate, na quarta-feira, no Morumbi, vai definir o destino do São Paulo na Copa Libertadores. Caso seja escalado, será o primeiro jogo do uruguaio no torneio depois do retorno à equipe paulista e o confronto com o atual campeão continental pode até mesmo decretar a eliminação do time brasileiro em caso de derrota.

"Estou louco para chegar quarta-feira e ver o Morumbi com 60 mil pessoas. Será vida ou morte. Voltei para o São Paulo para isso, para noites de Libertadores com estádio lotado. Estamos prontos para nosso objetivo diante do campeão da América", disse o defensor, campeão da Libertadores pelo São Paulo em 2005. Na campanha daquele ano o clube eliminou o River Plate na semifinal da competição.

O São Paulo vendeu 34 mil ingressos antecipados para a partida. Os setores de arquibancadas estão esgotados. A partida é a última do time em casa pela fase de grupos. Na rodada seguinte o compromisso será contra o The Strongest, em La Paz, mas existe o risco de a equipe chegar lá eliminada. Para isso, o clube boliviano tem que bater o Trujillanos, na Venezuela, e o River Plate ganhar na quarta.

Lugano admitiu que o São Paulo não vive um momento bom, mas pode se apoiar na tradição para encarar os argentinos. "A principal qualidade dos rivais é que jogam bom futebol, têm um técnico jovem, campeão e que sabe jogar fora de casa. Mas o São Paulo está crescendo e pode combater isso, mais do que a catimba. A instituição e a camisa vão crescer para esta partida", comentou.

O uruguaio disputou duas partidas fora de casa nesta Libertadores, ambas terminaram empatadas em 1 a 1 e foram longe de São Paulo. Desde o retorno dele em janeiro, o zagueiro não pôde atuar no estádio do clube. "O Morumbi tem uma mística especial. Muitas noites de quarta-feira tiveram o São Paulo brigando e ganhando várias batalhas. Mas o São Paulo tem uma camisa que nestas horas iguala ou coloca a gente na frente. Quarta é uma chance de mostrar isso", afirmou.