21°
Máx
17°
Min

Tite culpa nervosismo nas finalizações pela derrota do Corinthians

(Foto: Divulgação)  - Tite culpa nervosismo nas finalizações pela derrota do Corinthians
(Foto: Divulgação)

O Corinthians não quis muito papo após a derrota para o Vitória, no Barradão, por 3 a 2, neste domingo, pela segunda rodada do Campeonato Brasileiro. Muitos jogadores optaram pelo silêncio e saíram do gramado juntos. Até o técnico Tite foi econômico em sua entrevista. Mas a justificativa de quem falou para definir o tropeço bateu: faltou calma na hora de concluir as jogadas.

"Acho que o desempenho não foi ruim. Criamos várias chances de gol, mas não soubemos fazer, ficamos ansiosos na hora de definir a jogada", afirmou o lateral Fagner. "O Vitória virou o jogo e correr atrás é complicado. Agora é ter calma, paciência para as coisas voltarem a acontecer."

O técnico Tite também estava bastante chateado com as chances desperdiçadas. E não por um ou outro. Muitos jogadores tiveram ao menos uma oportunidade clara. Mas na hora de correr para o abraço... Que horror.

"No primeiro tempo brincamos de infiltrar e criar oportunidades, mas não traduzimos em gols e fomos penalizados. E no futebol quando isso acontece é cruel", enfatizou.

Foi além. "Com um jogador mais enfiado o Corinthians criou um número muito grande de oportunidades. Talvez a equipe esteja um pouco ansiosa, nervosa, não está tendo confiança para traduzir o que produz", observou. "No segundo tempo o calor pesou um pouco, o nervosismo na definição bateu, o time não reagiu ao gol do empate e acabamos perdendo."

O comandante não assumiu que sua defesa foi mal. Negou que estivesse desorganizada em campo e preferiu dar méritos ao adversário. "Quando tu fala em zaga desorganizada, fala em mudança de postura depois da expulsão do adversário. E tivemos oportunidade de fazer gol, porque não havia sentido ficar com dois zagueiros. Nos lances dos gols do Vitória eles que foram bem. O Kieza foi muito bem, um jogador que queríamos no ano passado."

Apesar do revés, Tite até gostou do que viu em campo. Principalmente na primeira

etapa, na qual o Corinthians campeão parecia de volta. "Foi o melhor primeiro tempo que a equipe fez sob meu comando na temporada", afirmou. "Mas há outros aspectos, é uma equipe de jogadores que estão chegando agora, se entrosando.Sabe, contudo, que as cobranças virão. "A derrota, os cinco jogos sem vencer, trazem intranquilidade, sim. Agora é trabalhar com qualidade."