23°
Máx
12°
Min

Vítima de acidente na Colômbia, goleiro Danilo teve destaque no Operário

O goleiro Danilo, da Chapecoense, chegou a ser resgatado com vida, mas não resistiu aos ferimentos provocados pela queda do avião e morreu pouco tempo depois, no hospital. O atleta, que estava prestes a fazer a partida mais importante de sua carreira, já passou pelos gramados do Germano Krüger, em Ponta Grossa, nos anos de 2009 e 2010, quando defendeu a meta do Operário Ferroviário.

Pelo time de Vila Oficinas, Danilo disputou a Divisão de Acesso do Paranaense, ajudou o time a voltar para a elite do Estado, e disputou o Campeonato Paranaense de 2010 pelo clube. Cândido Neto, apresentador da Rede Massa e amigo pessoal de Danilo, lembra da passagem do atleta pelo alvinegro de Ponta Grossa.

“O Danilo era um grande profissional e quando esteve no Operário, estava em começo de carreira. Ele marcou sua passagem por aqui, não apenas pelo bom goleiro que era, mas também pelo caráter, pela boa pessoa que era também fora de campo”, comenta o apresentador.

Em nota, a diretoria do Operário lamentou a morte do atleta:

O Operário Ferroviário Esporte Clube, por meio de seus dirigentes, jogadores, comissão técnica e demais funcionários, lamenta a tragédia com o avião em que estava a delegação da Associação Chapecoense de Futebol, jornalistas e convidados.

O clube lamenta ainda a morte do goleiro Danilo Padilha, de 31 anos, que passou pelo Fantasma nos anos de 2009 e 2010 e foi o herói do acesso à Primeira Divisão do Campeonato Paranaense, com defesas que garantiram o empate com a Portuguesa Londrinense no jogo do ‘acesso’.

O Operário presta solidariedade aos familiares e amigos das vítimas do acidente, aos torcedores e à população de Chapecó. Desejamos força a Associação Chapecoense de Futebol para que possa recomeçar.

O alvinegro informa que as atividades de hoje estão suspensas e decreta luto de três dias.