22°
Máx
14°
Min

Wolfsburg anula ataque do Real, faz 2 a 0 e abre vantagem na Liga dos Campeões

(Foto: Divulgação)  - Wolfsburg anula ataque do Real, faz 2 a 0 e abre vantagem na Liga dos Campeões
(Foto: Divulgação)

No resultado mais surpreendente destas quartas de finais da Liga dos Campeões, o Wolfsburg contou com o apoio da torcida alemã para segurar o ataque do Real Madrid e abrir boa vantagem na disputa ao vencer o time espanhol por 2 a 0, nesta quarta-feira. Ricardo Rodríguez, em pênalti inexistente, e Maximilian Arnold marcaram os gols da partida.

O triunfo deixa a equipe comandada pelo técnico Zidane em situação difícil no confronto. Para alcançar a semifinal, o Real terá que vencer o Wolfsburg na próxima terça-feira, no Santiago Bernabéu, por três gols de diferença. Ou devolver o 2 a 0, forçando a disputa de prorrogação e possíveis pênaltis.

Zidane terá ainda que se preocupar com a defesa do time madrilenho, que contou só com laterais brasileiros nesta quarta - Marcelo e Danilo. Se o Wolfsburg balançar as redes em Madri, neste seu primeiro mata-mata na Liga dos Campeões, o Real precisará marcar quatro gols.

Encabeçada pelos brasileiros Dante, Naldo e Luiz Gustavo, a defesa do Wolfsburg foi uma das responsáveis pela vitória desta quarta. Os alemães conseguiram conter o trio BBC, formado por Karim Benzema, Gareth Bale e Cristiano Ronaldo, apagado na maior parte do tempo e neutralizado em suas maiores investidas.

Casemiro, destaque no clássico espanhol de sábado, esteve muito aquém daquela atuação. Para piorar, teve o azar de protagonizar o lance que gerou o questionável pênalti marcado pela arbitragem. Já Marcelo teve bom desempenho na defesa, sem se arriscar muito no ataque, como fez no duelo com o Barcelona.

O JOGO - Ainda no embalo da virada sobre o rival catalão, o Real Madrid não deixou o Wolfsburg respirar no começo da partida. Logo no primeiro minuto Cristiano Ronaldo já mandava a bola para as redes. Em posição irregular, o atacante português teve seu gol anulado. Antes dos 10 minutos, o Real já acumulava três investidas perigosas contra a defesa encabeçada pelos brasileiros Dante, Naldo e Luiz Gustavo.

Numa das melhores chances na etapa inicial, Benzema recebeu dentro da área, pela esquerda. Ele driblou Dante e bateu cara a cara com Benaglio. O goleiro, porém, defendeu com o pé, aos 13.

Acuado e sem espaço para jogar, o Wolfsburg abriu o placar em sua primeira tentativa de ataque. Para tanto, contou com uma boa ajuda da arbitragem, que marcou pênalti em dividida de Casemiro com Schürlle dentro da área. Os jogadores do Real reclamaram, mas o juiz confirmou a penalidade, convertida por Ricardo Rodríguez aos 16.

O gol mudou totalmente o panorama do jogo. O time da casa ganhou confiança e passou a atacar mais. Aos 24, a renovada postura do Wolfsburg rendeu o segundo gol. O brasileiro Bruno Henrique cruzou da direita e Arnold completou rasteiro para as redes, aos 24.

Surpreendido, o Real não chegava mais ao ataque com facilidade. Mas mesmo em lances pontuais mostrava toda sua qualidade. Aos 31, Bale cruzou da esquerda e Benzema perdeu grande chance ao cabecear para fora. Cinco minutos depois foi a vez de Kroos finalizar com perigo, de fora da área. Benaglio fez bela defesa. Antes do intervalo, o time espanhol sofreu novo revés. Com dores, Benzema precisou deixar o gramado. Jesé entrou em campo.

Depois de levar 2 a 0 no primeiro tempo, a torcida espanhola esperava pressão total do Real na etapa final. Os visitantes até tentaram, mas a pressão nunca se concretizou. Em parte por causa da atenção da zaga alemã, um pouco em razão da falta de inspiração de Cristiano Ronaldo.

O segundo tempo se resumiu ao controle do Real, embora sem chances mais agudas, e lances perigosos do Wolfsburg em contra-ataques. Foi dessa forma que Schürlle quase acabou com o Real aos 23 minutos. Ele desperdiçou oportunidade incrível ao receber lançamento pela direita e encher o pé, quase na pequena área, mandando por cima do travessão.

A preocupação do Real se tornou tensão quando Marcelo se estranhou com Arnold. O brasileiro chegou a acertar uma leve cabeçada no rival e caiu no chão. Somente o alemão levou cartão amarelo.

Assustado, Zidane não hesitou em promover forte mudança no meio-campo madrilenho. Sacou Modric e Kroos para promover as entradas de Isco e James Rodríguez. Casemiro foi mantido. As variações, contudo, não surtiram efeito.

Cristiano Ronaldo continuou sendo a maior aposta do time espanhol. E, aos 27, perdeu a melhor chance da etapa. Ele foi lançado pela direita e ficou cara a cara com o goleiro. Benaglio, mais uma vez, fez a diferença e evitou o gol do Real.

Do outro lado, Keylor Navas tinha maior trabalho. Ele sofreu ameaças do ataque alemão até o apito final. E viu ser encerrada sua expressiva sequência de 738 minutos sem levar gols nesta Liga dos Campeões.