27°
Máx
13°
Min

Londrina goleia Maringá por 4 a 0 e pega Matelândia na Chave Bronze

(Foto: Divulgação) - Londrina goleia Maringá por 4 a 0 e pega Matelândia na Chave Bronze
(Foto: Divulgação)

A equipe do Iate Clube/FEL/Londrina Futsal viajou a Maringá para enfrentar a equipe da Prefeitura de Maringá/Unifamma/Seleto/AFMM valendo uma das vagas para as quartas de final da Chave Bronze 2016. Necessitando única e exclusivamente da vitória, a equipe iateana sabia das dificuldades que enfrentaria na partida e buscou incessantemente pelo resultado positivo desde o início da partida e deu certo: goleada por 4 a 0 sobre a equipe adversária e vaga garantida entre os oito melhores times do torneio, pegando Matelândia nas quartas de final.

Com o clima de rivalidade entre as cidades e devido aos três confrontos deste ano (uma vitória do Iate Clube e dois empates) até então, acirraram ainda mais o clima para a última partida da 2ª Fase. Com todos esses ingredientes, a partida começou quente com boas chances para ambas as equipes. Aos 4 e 58, em jogada pelo lado esquerdo, o ala/pivô Montanha, da equipe maringaense, desferiu um soco no atleta Bruno, do Iate Clube, e foi expulso da partida, gerando um grande tumulto no jogo. Ao sair, Montanha ainda agrediu o atleta Maycon, da equipe londrinense, o que tumultuou ainda mais o jogo, tendo a paralisação de ao menos trinta minutos. Além do atleta de Maringá, o técnico Paulo Gil também acabou sendo expulso, o que emocionalmente deixou a equipe adversária completamente desnorteada. No retorno da paralisação, o ala/pivô Diego Scarpetta anotou o primeiro gol iateano aos sete minutos, quando restavam poucos segundos para o retorno do quarto atleta maringaense a partida, sendo o único do gol da equipe londrinense no primeiro tempo. Marcelinho ainda perdeu um tiro-livre, defendido pelo goleiro Lucas Rossi.

Na volta do segundo tempo, logo aos 27 segundos de jogo, em lançamento do goleiro Rodrigo, o ala/pivô Diego Scarpetta dividiu bola com a defesa maringaense e anotou mais um gol para o Iate Clube/FEL/Londrina Futsal, fazendo dois a zero no placar e ampliando a tranquilidade da equipe na partida. Com a vantagem, a equipe iateana soube aproveitar as brechas na defesa adversária e ampliou o placar, primeiro com 11 com Mineto, driblando o adversário pelo lado esquerdo e finalizando no canto inferior esquerdo do goleiro Besson. Com o excesso de faltas comentidas pela equipe maringaense, o número de faltas excedeu o permitido e Paulinho, aos 14, anotou o quarto gol londrinense na cobrança de tiro-livre direto, sem chances para o goleiro adversário. Com o resultado positivo alcançado e a

Capitão da equipe e líder dentro e fora das quadras, o ala Paulinho destaca a importância da conquista da vaga entre as oito melhores equipes da Chave Bronze e de enfrentar a melhor equipe da competição, a equipe da AFC/Matelândia/Adesa. “Conquistamos nosso objetivo de passar de fase, o que é muito importante para essa jovem equipe e pra cidade, mantendo vivas nossas ambições. Serão dois jogos de muita dificuldade, ainda mais pelo regulamento do campeonato. Enfrentaremos a equipe de melhor campanha e é um grande teste para nós. Necessitamos de muita atenção, regularidade e procurar errar o menos possível. Representar Londrina, independente do campeonato, sempre tem um peso grande e nessa Série Bronze não é diferente. Essa equipe já mostrou muita força durante a competição e também na Taça Brasil, então sem dúvidas podemos chegar mais longe e conquistar nossos objetivos”.

Desfalque por dois meses da equipe iateana, o ala/pivô Diego Scarpetta voltou às quadras neste sábado, justamente contra a equipe maringaense, onde se lesionou no dia 27 de julho, em confronto realizado no Ginásio de Esportes Moringão. Segundo Scarpetta, a equipe iateana soube jogar com a pressão adversária e que com a equipe completa, a força do grupo aumenta ainda mais: “Estou muito feliz em ter voltado a jogar depois de dois meses e por conseguir ajudar a nossa equipe a se classificar. Foi um clássico, um jogo emocionante, onde a nossa equipe se comportou muito bem, sabendo jogar com a pressão da torcida adversária. Nosso time é muito forte quando estamos completos, então vamos para essas quartas de final mais forte ainda depois dessa classificação tão difícil. Vamos enfrentar uma excelente equipe, mas é outro campeonato, agora é mata-mata, não podemos mais errar, e com o apoio da torcida esse primeiro jogo em casa é essencial para conseguir a vitória”. Ainda de acordo com o artilheiro iateano na competição, com 14 gols, a felicidade em poder retornar a equipe iateana é muito gratificante e que a equipe pode chegar as finais do torneio: “Acredito que a nossa equipe mereceu muito essa classificação, batalhamos, evoluímos como equipe, e eu estou muito feliz em participar desse time e por ter voltado a jogar pelo Iate Clube esse ano, onde joguei a minha vida inteira, desde os oito anos de idade. Precisamos pensar jogo a jogo, mas nossa equipe é muito unida e sabemos da nossa capacidade. Acreditamos que podemos chegar as finais da Chave Bronze”.

De acordo com Wilton Santana, a classificação apenas na última rodada veio devido ao nível de competitividade do torneio e que a partir de agora se inicia uma nova competição: “A classificação na última rodada mostra o nível do torneio, já que quatro equipes tinham chances de classificação na última rodada. Em Maringá, focamos mais no jogo do que na classificação em si, com as nuances e as emoções que o jogo proporcionava. Rompemos a barreira da primeira e segunda fase com essa classificação, reafirmando que vale a pena o treinamento diário, a carga emocional e física, o desgaste, esforço e todo o comprometimento envolvido. A nossa equipe pôde jogar mesmo com as dificuldades de lesões e suspensões durante o torneio, encontrando regularidade e conquistando a classificação. Com a classificação para as quartas, agora começa um novo campeonato com absolutamente nada definido”.

(com assessoria de imprensa)