22°
Máx
17°
Min

Brasil se classifica para seis finais na Copa do Mundo de Ginástica

A ginástica artística brasileira estará em seis finais da Copa do Mundo de Doha, no Catar, entre sexta e sábado. Nesta quinta-feira, Diego Hypólito brilhou fazendo a melhor nota no solo e avançando à final também no salto. Rebeca Andrade mostrou-se recuperada da cirurgia no joelho para receber a segunda melhor nota nas barras assimétricas. Ela, entretanto, estava escalada para competir também na trave, mas não se apresentou.

Hypolito estreou muito bem na temporada. Apesar de prometer uma série simples, ele apresentou a série mais complexa entre todos os 24 competidores no solo e recebeu nota 15,400, que valeria bronze no Mundial do ano passado. Diego não competiu em Glasgow porque a prioridade do Brasil naquela competição, em 2015, era a vaga olímpica com equipe completa. Agora, candidato à medalha no Rio-2016, é nome praticamente certo no time que vai aos Jogos.

O ginasta da equipe de São Bernardo do Campo também vai disputar a final do salto em Doha. Nas eliminatórias, Hypolito recebeu 14,900 em suas duas apresentações e passou em terceiro. Ângelo Assumpção ficou em nono no solo e em 11.º no salto e indicou que os Jogos do Rio ainda não serão sua primeira Olimpíada.

Amigo de infância de Arthur Zanetti e enteado do técnico Marcos Goto, Henrique Flores avançou à final das argolas com a sétima melhor nota: 14,800. Ele tinha a melhor nota de partida, mas não fez boa apresentação. Já o jovem Fellipe Arakawa fará final na barra fixa (foi sétimo com 14,600) e fica como reserva nas barras paralelas (décimo, com 14,500).

No feminino, Rebeca Andrade fez boa apresentação nas barras paralelas e recebeu a segunda melhor nota das eliminatórias: 14,500. Já Thauany Araújo fará final na trave, após passar em quarto, com 14,200. Ela ainda foi 23.ª nas barras assimétricas, falhando em sua apresentação - recebeu só 11,650. Nenhuma das duas competiu no salto ou no solo.