22°
Máx
14°
Min

Com notas altas, Zanetti e Diego Hypolito avançam a finais em SP

Sem rivais de peso, os ginastas brasileiros avançaram com facilidade às finais na etapa de São Paulo da Copa do Mundo de Ginástica Artística, nesta sexta-feira, no Ginásio do Ibirapuera. Arthur Zanetti e os irmãos Hypolito confirmaram a superioridade em casa e brigarão por medalhas no fim de semana.

Mesmo com uma série de menor grau de dificuldade nas argolas, Zanetti recebeu a nota 15,850 e se classificou na primeira posição, muito à frente dos 15,000 do argentino Frederico Molinari, que obteve a segunda vaga. O campeão olímpico ficou satisfeito com o resultado. "Nem sempre é a nota final o que mais importa, e sim o desconto. Hoje (sexta) foi menos de um ponto, está excelente."

Apenas sete atletas competiram nas argolas e, dessa forma, todos voltam a se apresentar no domingo, às 10h50. Apoiado pela torcida, que gritava seu nome nas arquibancadas, Zanetti valoriza a competição em casa. "Sempre que tem um evento em casa, é maravilhoso, tanto para o atletas quanto para a torcida", exalta. Na final, ele deve executar a série que preparou para Olimpíada.

A disputa no solo não foi tão esvaziada e contou com dois brasileiros em ação. Com 15,600, Diego Hypolito garantiu a primeira colocação, já Arthur Nory sofreu um grande desequilíbrio no fim, foi penalizado e acabou apenas com a sétima posição (14,050).

O resultado superou as expectativas até mesmo de Diego Hypolito, que sentiu o calor dos brasileiros no Ibirapuera. "Estou muito satisfeito, foi minha melhor prova desse ano, minha melhor nota desse ano. Meu objetivo aqui nem era tirar uma nota tão alta porque vim de uma semana muito difícil, das seletivas. A torcida contribuiu muito para que eu tenha ido bem." Como comparativo, com essa nota Diego seria prata no Mundial do ano passado.

Zanetti também tem participado das seletivas por uma vaga na seleção olímpica. Humilde, nega ter um lugar cativo na equipe e também descarta favoritismo nas competições. "Não entro na competição como favorito, nas últimas competições não consegui pegar pódio. Favorito hoje são os que estão no topo do pódio, sou simplesmente mais um ginasta para brigar pela minha vaga. Não sou favorito, ninguém é favorito."

No salto, Daniele Hypolito totalizou 14,075 na média de seus dois saltos e ficou com o primeiro lugar da classificatória. Nas assimétricas, Rebeca Andrade (14,550) e Lorrane Oliveira (13,600, voltando de duas semanas afastada por lesão) terminaram em primeiro e terceiro, respectivamente. No masculino, Arthur Nory não se abateu com o desempenho regular no solo e também garantiu a liderança do salto, com 14,950, seguido por Sérgio Sasaki (14,725). O cavalo com alças foi o único aparelho que não teve um brasileiro na ponta. Caio Souza somou 14,300 e avançou na terceira posição, enquanto Sasaki apareceu logo na sequência, com a nota 14,100.