22°
Máx
17°
Min

Em 1º no evento-teste, Brasil garante equipe feminina de ginástica no Rio-2016

O Brasil está oficialmente classificado com equipe completa para os Jogos Olímpicos do Rio na ginástica artística feminina. Conforme esperado depois da ótima apresentação das brasileiras na segunda sessão deste domingo no evento-teste da Arena Rio, a equipe segue em primeiro após a apresentação de seis times. Como quatro se classificam e só falta Bélgica e França competirem, ninguém tira a vaga do Brasil.

Será a quarta participação consecutiva nos Jogos com equipe completa. Diferente do evento-teste, no qual foram inscritas sete atletas (seis competiram e uma ficou como reserva), na Olimpíada a convocação terá só cinco ginastas. Ao que tudo indica, as vagas são de Flávia Saraiva, Rebeca Andrade, Lorrane Oliveira, Jade Barbosa e Daniele Hypolito.

A terceira sessão teve Alemanha e Coreia do Sul. As alemãs saíram-se melhores. Somaram 223,977 pontos e assumiram o segundo lugar, seguidas da Austrália (218,428) e da Suíça (218,336). As sul-coreanas, conforme esperado, estão no último lugar, com 203,828 pontos, atrás inclusive da decepcionante equipe romena, que pontuou 216,569 e está oficialmente fora da Olimpíada.

O desempenho deste domingo alça o Brasil ao posto de uma das potências da ginástica artística para o Rio-2016. Com esses 226 pontos, teria ficado em quarto na fase de classificação tanto do Mundial de 2015 (atrás de EUA, Rússia e da Grã-Bretanha, dona da casa) quanto no de 2014 (atrás de EUA, Rússia, e da China, dona da casa). No Rio, pode brigar com China e Grã-Bretanha pelo bronze. Dessa vez, será o dono da casa.

Neste domingo, a melhor brasileira foi Flávia Saraiva, que somou 56,882 no individual geral. Jade Barbosa, que caiu nas barras assimétricas, fez 55,823, enquanto Lorrane Oliveira, que competiu com uma lesão na sola do pé, somou 55,640. Daniele Hypolito teve atuação do mesmo nível das companheiras, mas não competiu nas barras assimétricas. Rebeca Andrade só se apresentou no salto e nas barras, mas foi muito bem em ambos os aparelhos. Se ela estiver 100% na Olimpíada, o Brasil cresce muito.