28°
Máx
17°
Min

José Aldo pede para romper com o UFC e sugere aposentadoria

(Foto: Divulgação)  - José Aldo pede para romper com o UFC e sugere aposentadoria
(Foto: Divulgação)

A confirmação da luta entre Conor McGregor e Eddie Alvarez no UFC de Nova York, no dia 12 de novembro, foi a gota d'água para José Aldo. Em entrevista ao programa "Revista Combate", do SporTV, o campeão interino do peso-pena pediu ao presidente do Ultimate, Dana White, para ter o contrato rescindido e, após ter o pedido negado, ameaçou se aposentar do MMA.

"Desde que eu perdi eles prometeram uma coisa para mim. Vinha no meu pensamento que eu não queria nem mais lutar MMA, chegou uma hora que chegou no meu limite. Sentei com o Dedé (Pederneiras, técnico do brasileiro) há muito tempo, ele me convenceu de continuar, lutei com o Frankie Edgar para ganhar, foi a luta do Dedé. Quando acabou a luta eu ofereci a vitória a ele", afirmou José Aldo, de 30 anos.

"Depois disso, estava esperando, o cara falou que a luta estava fechada, pessoas do UFC falaram que a gente conseguiu a luta. Não é que estou de cabeça quente, revoltado, nada disso. Estou muito tranquilo, conversei desde muito antes que queria encerrar minha carreira aos 30 anos de idade e tomar novos rumos. Eu nunca lutei por dinheiro, queria fazer um trajetória boa e deixar um legado na categoria. Queria me aposentar como único campeão peso-pena, mas não foi dessa maneira. Sou campeão interino, estou lá em cima, mas estou realmente estou de saco cheio", declarou o lutador.

"Hoje (terça-feira) de manhã estava conversando com o Dedé... Se eles oferecerem qualquer coisa... Para mim, não é questão de dinheiro, eu não aguento mais. Chegou no meu limite. Se ele (Dana) gosta de mim e da minha família como falou, só peço que ele me libere normalmente, não quero briga com ninguém. Quero sair do jeito que eu entrei. O UFC nunca me deu nada. Foi tudo mérito meu, da minha equipe e da minha família. Em nenhum momento eles me deram alguma coisa. Eu conquistei com méritos meus. Dei muito mais a eles do que eles me deram em troca. Só quero que possam me liberar do contrato. Se eles me oferecerem milhões, podem ficar para eles, não quero. Desculpe a expressão, mas não sou p*** para me vender. Sou homem. Meu pai me fez assim", discursou o lutador.

As declarações foram motivadas pela negativa de Dana. Em coletiva para promover o UFC Nova York, o presidente do Ultimate afirmou que não iria atender ao pedido de José Aldo e tentaria resolver o problema. "Não vamos cancelar o contrato dele. A gente sabe que ele ficou muito emotivo, respeitamos muito o José Aldo, a gente gosta de quem está em volta dele. Khabib (Nurmagomedov) queria uma luta nesse card e a gente conseguiu uma luta para ele nesse card. Vamos conseguir arrumar algo legal para o José também", afirmou.

Pela maneira com que foi enfático, José Aldo dificilmente vai voltar atrás da decisão de se aposentar. "Só quero que o UFC me libere para eu seguir a minha vida, minha carreira em outro esporte, que sempre tive o sonho", disse o brasileiro, criticando mais uma vez o presidente do Ultimate.

"Ele (Dana) tinha falado que faríamos a luta contra o Conor pelo cinturão, senão ia enfrentar um desses dois (Pettis ou Holloway). Agora vai querer esperar até a luta (McGregor x Alvarez) acontecer. Se ele (McGregor) perder, luta comigo. Se ganhar, fica no leve e abandona (o título) para eu enfrentar o Holloway. Isso não é uma coisa legal. Está prejudicando a mim, que fiz história, o Holloway, o Pettis, o Frankie ou o peso-pena que for. Não é só falta de respeito com o Aldo, é com a categoria toda. Se o outro ganha, vai querer botar com quem não tem nada a ver", encerrou.