24°
Máx
17°
Min

Algoz de Cielo, Ítalo ganha primeira medalha internacional

(Foto: Divulgação)  - Algoz de Cielo, Ítalo ganha primeira medalha internacional
(Foto: Divulgação)

Ítalo Manzine deixou Cesar Cielo fora dos Jogos Olímpicos do Rio, superando o ídolo nas seletivas brasileiras, mas nunca havia ganhado uma medalha sequer em competições internacionais. Neste domingo, o tabu foi quebrado com o bronze nos 50m livre na etapa de Barcelona (Espanha) do Mare Nostrum, que fechou o principal circuito europeu de natação.

Atleta do Minas Tênis Clube, Ítalo havia feito sua estreia internacional em Canet (França), no meio de semana, com um discreto sétimo lugar. Neste domingo, completou a prova em 22s40, distante da marca de 21s82 feita no Maria Lenk. Há de se considerar, porém, que atual fase de treinamentos não visa grandes resultados agora.

Em contrapartida, essa ponderação torna ainda mais expressivo o feito de Andriy Govorov, que fez a melhor marca de todos os tempos no Mare Nostrum: 21s61, baixando em um centésimo o resultado do domingo passado, em Montecarlo.

O ucraniano, terceiro do ranking mundial, mora e treina em São Paulo, sob o comando de Arilson Silva. Arilson era técnico de Cesar Cielo até o ano passado, mas acabou preterido pelo nadador. Agora, lapida um forte rival para Ítalo e Bruno Fratus na Olimpíada.

MEDALHAS - A Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos (CBDA) levou à Europa boa parte da seleção que irá participar dos Jogos Olímpicos do Rio. Em duas etapas, ganhou 16 medalhas, sendo três de ouro, seis de prata e sete de bronze. Sete das conquistas, entretanto, foram em provas que não constam no programa olímpico.

É o caso dos 50m peito, que teve Felipe França com prata e João Luiz Gomes Jr bronze neste domingo. A vitória, mais uma vez, ficou com o britânico Adam Peaty, que bateu o recorde do circuito. França venceu tanto nos 50m e nos 100m peito em Canet e foi prata nas duas provas em Barcelona, sempre atrás de Peaty. Na prova mais longa, sábado, fez o terceiro melhor tempo do ranking mundial de 2016, atrás só de Peaty e de João Luiz.

Guilherme Guido também competiu bem na Europa, ganhando quatro medalhas em quatro provas de 50m e 100m costas. Neste domingo, em Barcelona, faturou a prata na prova mais longa, com o tempo de 54s52. Só foi superado pelo alemão Jan Philip Glania. Já Henrique Martins ficou com o bronze nos 100m borboleta, completando a prova em 52s81.

Joanna Maranhão ficou em quarto lugar nos 200m medley, com o tempo de 2min10s98, enquanto

Daynara de Paula terminou também em quarto nos 50m borboleta, prova que não é olímpica.