20°
Máx
14°
Min

Após prata no Rio-2016, Clodoaldo Silva confirma aposentadoria das piscinas

Um dos maiores nomes da natação paralímpica brasileira, Clodoaldo Silva anunciou oficialmente sua aposentadoria das piscinas na tarde deste domingo. No Rio-2016, ele conquistou uma prata e encerrou a carreira com 14 medalhas em Jogos Paralímpicos. Mas o nadador afirmou que isso não foi o mais importante na sua trajetória. "Nossa maior missão não é estar no lugar mais alto do pódio. Nossa maior missão é incentivar pessoas, seja no esporte, seja na vida", disse.

No anúncio da aposentadoria, Clodoaldo, de 37 anos, fez uma brincadeira. "Não vou pendurar mais a minha sunga, porque meus colegas me convenceram que é obsceno. Vou pendurar os óculos e a touca", declarou. "São cinco Paralimpíadas. Estou velho pra caramba!"

Ele disse que a despedida das piscinas nesta edição dos Jogos Paralímpicos foi especial. "Por mais que eu achasse que iria me despedir no Rio de Janeiro, não esperava que seria tão bom. Poder conquistar uma prata junto com o Daniel, com a Joaninha e com a Susana, foi algo demais", destacou, em referência à prata conquistada no revezamento 4x50 metros livre 20 pontos.

A história de Clodoaldo Silva em Jogos Paralímpicos começou em Sydney-2000, quando ele conquistou quatro medalhas. Desde então, subiu ao pódio em todas as edições. No Rio, Clodoaldo participou de três provas, ficando com a prata no revezamento e chegando a 14ª medalha paralímpica.

Há quatro anos, Clodoaldo chegou a afirmar que se aposentaria após os Jogos de Londres-2012, mas acabou mudando de ideia por causa do nascimento da filha, Anita, no ano anterior. "Em Londres estava tudo programado para eu parar, mas uma das principais coisas que fizeram eu continuar foi o nascimento da minha filha. Eu queria que ela me visse não em imagens, com alguém contando pra ela. Queria ver ela na arquibancada torcendo, 'vai papai, vai papai'. Ela já sabe nadar e me incentiva pra caramba. Ela tinha que assistir tudo aquilo", contou Clodoaldo.

HOMENAGEM - Maior medalhista da história da natação masculina paralímpica, Daniel Dias foi só elogios a Clodoaldo Silva. "Falar do Clodô é fácil e difícil ao mesmo tempo. É um cara sensacional, sempre me apoiou. Passamos por grandes momentos juntos, rimos e choramos muito, disse Daniel.

"Fazer parte desse momento com ele foi algo incrível. Tenho que agradecer por tudo o que ele fez não só para o esporte adaptado, mas para o esporte brasileiro. Ele somou muito, e fico feliz de seguir essa história", completou Daniel Dias.