23°
Máx
12°
Min

César Castro supera campeão mundial e fica em 5º na Copa do Mundo de Saltos

(Foto: Divulgação)  - César Castro supera campeão mundial e fica em 5º na Copa do Mundo de Saltos
(Foto: Divulgação)

Doze anos depois de ser finalista olímpico em Atenas, quando tinha apenas 20 anos, César Castro vai chegar aos Jogos Olímpicos do Rio numa das melhores fases da carreira. Nesta segunda-feira, ele conquistou um dos melhores resultados da história dos saltos ornamentais no País ao terminar no quinto lugar na final do trampolim na Copa do Mundo da modalidade. O torneio, equivalente a um Mundial, vale como evento-teste dos Jogos e é realizado no Parque Aquático Maria Lenk.

Com 437,40 pontos em sua apresentação final, César Castro superou, entre outros, o atual campeão mundial da prova, o chinês He Chao. A prova foi vencida pelo mexicano Rommel Pacheco (504,40), que compete pela Fina - a federação do México está suspensa. Ele foi seguido do jamaicano Yona Knight-Wisdom (459,25) e do norte-americano Kristian Ipesen (457,60). Também o francês Matthieu Rosset (453,50) ficou à frente de Castro.

Em quinto, o brasileiro comemorou repetir aquele que é o melhor resultado da história dos saltos ornamentais brasileiros: o quinto lugar dele no Mundial de Roma, em 2009. "Ontem (domingo) consegui a vaga (olímpica), o que me deu um grande alívio. Hoje (segunda) melhorei a pontuação na semifinal consideravelmente. Hoje tenho um controle psicológico maior, afinal a cabeça é tudo pois tem público, imprensa, vento", comentou o saltador, que mira uma final olímpica no Rio.

O quinto lugar na Copa do Mundo, entretanto, não reflete o que deve ser a prova no Rio. Saltadores como o russo Ilya Zakharov (prata no Mundial de Kazan, ano passado, e atual campeão olímpico) e o britânico Jack Laugher (bronze em Kazan) nem vieram ao Brasil. Outros quatro saltadores que conquistaram vaga olímpica pelo Mundial também não competiram na Copa do Mundo.

Além disso, a nota que deu a César Castro o quinto lugar no evento-teste sequer o levaria à final do último Mundial. Com menos de 500 pontos (ele fez 437) não se briga por medalha numa Olimpíada. De qualquer forma, é uma clara evolução na comparação com o resultado do brasileiro nas últimas duas edições da Copa do Mundo: 14.º em Londres, em 2012, e 20.º lugar em Xangai, em 2014.