22°
Máx
14°
Min

China admite seis casos de doping na natação, mas nega acobertamento

A Agência Antidoping da China (Chinada) admitiu nesta quinta-feira que registrou seis casos recentes de doping na natação do país. A confirmação veio depois de o jornal britânico The Times ter reportado que foi procurado por denunciantes da modalidade chinesa que afirmaram que cinco casos de testes positivos foram acobertados pelas autoridades.

Diretor da Chinada, Zhao Jian admitiu à agência The Associated Press que o país teve seis casos recentes de doping. Três deles aconteceram no ano passado, todos para o uso de clembuterol, entre agosto e setembro. A federação nacional de natação vai definir a punição para estes atletas em breve e, então, os resultados serão divulgados.

Os outros três casos revelados por Jian aconteceram já no início deste ano, em janeiro, e, até por isso, ainda estão sob investigação. Eles serão divulgados até 20 dias depois da definição das punições, de acordo com as regras da Agência Mundial Antidoping (Wada, na sigla em inglês). Segundo o dirigente, a Wada está sendo informada de todos estes resultados. Nenhum dos atletas envolvidos foi revelado.

A história revelada pelo The Times dava conta de que os denunciantes da natação chinesa foram ao jornal para "evitar uma tempestade" antes dos julgamentos olímpicos do país marcados para o mês que vem. Eles inclusive teriam pedido para os jornalistas da publicação delatarem as informações para a Wada, que agora está investigando o caso.

A Chinada, no entanto, garante que não houve qualquer acobertamento de casos de doping na natação local. "Desde o início, a China nunca acobertou nenhum teste positivo de doping. Eu não tenho certeza ao que o jornal se referiu de fato e a reportagem era vaga. Então, não aconteceu nada sensacionalista como o acobertamento, isto não é verdade", afirmou Jian.