21°
Máx
17°
Min

Cielo mostra evolução em último teste antes de seletiva brasileira

Ainda buscando o índice olímpico para os Jogos do Rio, Cesar Cielo mostrou evolução em seu último teste antes do Troféu Maria Lenk. Nadando uma competição regional em Austin, no Texas (EUA), no domingo, venceu os 50m livre com 22s28, ficando a apenas 0s01 da marca mínima exigida pela Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos (CBDA) para o Rio-2016.

A competição não valia como tomada de índice, mas serviu para Cielo mostrar que deverá chegar ao Maria Lenk, a partir do dia 15, em condições de se qualificar para a Olimpíada. No fim de semana passado, Cielo ainda estava "pesado", como se diz no jargão da natação. Ele só fará o polimento para o Maria Lenk, o que significa, naturalmente, um ganhou expressivo no cronômetro.

Além disso, o resultado em Austin mostrou que Cielo segue em evolução. Ele nadou para 23s87 em janeiro, 22s47 em março e agora 22s28 - fez 22s37 nas eliminatórias. Agora, aparece no 20.º lugar do ranking mundial, empatado com Ítalo Duarte, que fez a mesma marca na etapa de Orlando do Pro Swim, no mês passado.

Por ter ocorrido em período diferente da temporada - ainda que no mesmo dia -, o resultado de Cielo não pode ser comparado aos 21s42 do francês Florent Manaudou na seletiva francesa, também domingo. O atual campeão olímpico estava preparado para mostrar seu auge no último fim de semana, enquanto Cielo estará em situação semelhante apenas daqui a duas semanas.

Na primeira das duas seletivas brasileiras, cinco nadadores fizeram índice para os 50m livre: Bruno Fratus (21s50), Ítalo Duarte (22s08), Marcelo Chierighini (22s17), Matheus Santana (22s17) e Henrique Martins (22s25). Isso significa que, ainda sem contar os desempenho dos rivais no Troféu Maria Lenk, Cielo tem que nadar pelo menos em 22s07 para ir à Olimpíada, superando Ítalo, seu colega de Minas Tênis Clube.