22°
Máx
16°
Min

Com Etiene Medeiros, Brasil fatura mais seis ouros no Sul-Americano de Natação

O Brasil ganhou mais seis medalhas de ouro no quarto e penúltimo dia das provas de natação do Campeonato Sul-Americano de Natação, neste sábado, em Assunção, no Paraguai. Etiene Medeiros venceu os 100 metros livre, enquanto que Brandonn Almeida levou a melhor nos 400 metros medley. As outras medalhas vieram nos 50 metros costas e borboleta, que não são provas olímpicas, e nos revezamentos 4x200 metros livre feminino e 4x200 metros livre masculino - neste, o País foi prata, mas a Argentina foi desclassificada.

Em ótima fase, Etiene Medeiros abriu o dia vencendo os 100 metros livre. Completou a prova em 54s83, superando por pouco a também brasileira Manuella Lyrio (55s07), que garantiu mais uma dobradinha no alto do pódio. Menos de 10 minutos depois, ela voltaria à piscina para os 50 metros costas, prova da qual é vice-campeã mundial. Sentindo o cansaço natural, terminou em segundo com 28s17, logo atrás da argentina Andrea Berrino. Ana Giulia Zortea, caçula da delegação, ganhou o bronze.

Apesar de ser especialista no nado costas, Etiene vem crescendo nas provas de velocidade. No Sul-Americano, já havia vencido os 50 metros livre. Ela tem índice para os 50 e para os 100 metros livre, mas nadou acima desse índice (54s4) neste sábado. De qualquer forma, a Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos (CBDA) não aceita os tempos do Sul-Americano para critérios de convocação.

Alan Vitória e Pedro Spajari nadaram os 100 metros livre e ficaram fora do pódio. Pedro, que tem só 19 anos, ficou em quarto com 50s12, seguido por Alan Vitória, o sexto com 50s29. Os dois estão entre os muitos candidatos a compor o 4x100 metros livre do Brasil na Olimpíada do Rio. Os favoritos, como Bruno Fratus, Marcelo Chierighini e Matheus Santana, recusaram convocação para o Sul-Americano.

Nos 400 metros medley, Joanna Maranhão perdeu mais uma para a argentina Virginia Bardach, irmã da histórica Georgina Barbach, que foi às últimas quatro Olimpíadas. A brasileira completou em 4min43s31, enquanto que a argentina fez 4min42s62 para se assegurar em mais uma prova no Rio-2016 - a competição é seletiva olímpica para a Argentina. Bruna Primati ficou em quarto, com 4min53s04.

No masculino, a vitória foi para Brandonn Almeida, que chegou em 4min17s78. O Brasil ainda teve Icaro Ludgero em quarto, com 4min28s75. Brandonn já tem o índice para os 400 metros medley - 4min16s71.

Nas demais provas que não fazem parte do programa olímpico, o Brasil saiu-se bem. Fez dobradinha nos 50 metros borboleta com Daiene Dias (26s53) e Daynara de Paula (26s68) e ganhou ouro e bronze nos 50 metros costas com Guilherme Guido (25s19) e Fábio Santi (28s85). Só na prova masculina de 50 metros borboleta que não ganhou medalha. Henrique Rodrigues foi sexto (24s66).