22°
Máx
14°
Min

Federação russa confirma doping da nadadora Efimova, que pode ser banida

Mais um caso de doping manchou o esporte russo e ampliou o escândalo que já vem desde o ano passado no país. Medalhista de bronze na Olimpíada de Londres, a nadadora Yulia Efimova foi flagrada no exame antidoping pelo uso de uma substância proibida pela segunda vez na carreira e, até por ser reincidente, pode ser banida pelo resto da vida.

A Federação Russa de Natação confirmou nesta quinta-feira que recebeu documentos da Federação Internacional de Natação (Fina) informando sobre o doping de Efimova. Em um breve comunicado, a entidade local revelou que a atleta foi suspensa "em conexão com uma possível brecha nas leis antidoping".

Nem a Fina nem a federação russa confirmaram os rumores de que Efimova também foi flagrada pelo uso de Meldonium, conhecido como Mildronato, substância bastante utilizada por atletas do leste europeu que passou a ser proibida este ano. Entre as atletas punidas desde então, está a tenista Maria Sharapova.

Efimova tem só 23 anos e, em Kazan, no ano passado, ganhou o Mundial de Natação nos 100m peito. Ela também venceu os 50m e os 200m peito em Barcelona, em 2013, e a prova mais curta em Roma, em 2009. No total, tem 10 medalhas em Mundiais, sendo nove em provas individuais no estilo peito e uma no 4x100m medley. Nos Jogos Olímpicos de Londres, em 2012, foi medalhista de bronze nos 200m.

Em 2013, foi flagrada no exame antidoping pela primeira vez e suspensa por um ano e meio pelo uso de um esteroide anabolizante. A russa voltou às competições em fevereiro de 2015 e desde então vem brilhando nas provas de 100m peito. Atualmente, lidera o ranking mundial nos 100m e é segunda nos 200m.