22°
Máx
17°
Min

Mesmo com índices, brasileiras são barradas em provas individuais da natação

A Federação Internacional de Natação (Fina) barrou de forma definitiva a inscrição de duas brasileiras em provas individuais de natação dos Jogos Olímpicos do Rio. Jhennifer Conceição e Natália de Luccas participarão do Rio-2016 com o revezamento, mas foram vetadas nos 100m peito e nos 200m costas, respectivamente, por culpa do sistema online de inscrições nos Jogos.

A Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos (CBDA) havia efetuado ambas as inscrições e se surpreendeu com a não inclusão das atletas na lista divulgada pela Fina na quarta-feira. Naquele dia, a CBDA informou à reportagem da Agência Estado que a Fina havia cometido um erro, que logo seria corrigido. Nesta sexta, entretanto, a entidade nacional admitiu que a situação é irreversível.

O principal critério de classificação para a Olimpíada é a obtenção do "índice A" exigido pela Fina. Mas, nas provas em que nenhum nadador do país atingiu essa marca, um atleta com "índice B", mais fraco, pode ser inscrito. A única condição é que ele esteja convocado por outra prova.

É o caso de Jhennifer Conceição e Natália de Luccas. Elas foram convocadas para nadar o revezamento 4x100m medley e seriam inscritas nos 100m peito e 200m costas, respectivamente, porque têm o índice B nessas provas, nas quais nenhuma brasileira fez índice A.

No sistema eletrônico da Fina, Jhennifer e Natália foram inscritas como "relay only" ("apenas revezamento"), uma vez que ocupam duas das 12 vagas destinadas a atletas de revezamento que não têm "índice A" para nenhuma prova. Só que esse sistema, depois, não validou a inscrição nas provas em que elas têm "índice B".

De acordo com a assessoria de imprensa da CBDA, a entidade fez de tudo para conseguir a inscrição das atletas, mas a Fina não voltou atrás. A federação internacional inclusive já havia adotado essa postura de não corrigir o erro ao convocar, desconvocar, e depois convocar de novo a grega Kristel Vourna, que não deveria estar nos 100m borboleta - tem índice B e já há uma grega inscrita com indie A.

A Fina, entretanto, aceitou normalmente a inscrição de Joanna Maranhão nos 200m borboleta e de Manuella Lyrio nos 400m livre, também com índice B. Joanna fez o índice A nos 200m e nos 400m medley, enquanto Manu vai nadar os 200m livre, além dos revezamentos 4x100m e 4x200m livre.