22°
Máx
16°
Min

Ágatha/Bárbara Seixas lamenta derrota, mas festeja 'gosto maravilhoso' da prata

(Foto: Divulgação/Jogos Olímpicos)  - Ágatha/Bárbara Seixas festeja 'gosto maravilhoso' da prata
(Foto: Divulgação/Jogos Olímpicos)

Ágatha e Bárbara Seixas reconheceram que não tiveram na noite desta quarta-feira a mesma atuação da semifinal, quando eliminaram as norte-americanas Walsh e Ross para chegar à decisão olímpica, nos Jogos do Rio-2016. Se em um dia eles fizeram tudo certo, no seguinte elas pecaram com muitos erros e lamentaram a irregularidade na partida na Arena do Vôlei de Praia de Copacabana.

"Não pudemos fazer o que queríamos, não foi bom para nós", lamentou Ágatha, lamentando o vento forte durante a partida. "Para nós essa prata tem um gosto maravilhoso, o caminho para conquistar ela foi muito árduo, mas ficamos tristes por perder a final. O nível da modalidade aumentou muito. Países que não tinham tradição hoje em dia tem duplas boas e é natural que exista um revezamento nas conquistas", continuou.

Para Ágatha, mais uma vez o Brasil bateu na trave no feminino, mas ela entende que esporte é assim mesmo. "Seria maravilhoso conquistar esse ouro depois de 20 anos da medalha com Jackeline e a Sandra. Existia essa vontade imensa com certeza, mas para nós essa prata tem um gosto maravilhoso. Não existe sentimento de tristeza. As alemãs mereceram a vitória, a gente não conseguiu botar em prática o que queria."

Apesar da frustração por não ter conquistado o ouro em casa diante da torcida brasileira, a dupla espera colher mais frutos no próximo ciclo olímpico e já projeta uma parceria duradoura. "Sobre os Jogos de 2020 eu vou pensar ainda, mas sei que tem um caminho longo até lá, de muito trabalho e muito suor. A gente ama muito o que faz", explicou Bárbara.

A medalha da dupla brasileira garantiu ao País seu 12º pódio nos Jogos do Rio. No total até agora, são três de ouro com Rafaela Silva (judô), Thiago Braz (salto com vara) e Robson Conceição (boxe), cinco de prata e quatro de bronze. "Apesar da derrota, acho que ficamos com a sensação de dever cumprido", completou Bárbara. "Essa prata tem um gosto muito especial para nós. Por isso chorei tanto. Botei para fora toda a pressão de um torneio como esse."