23°
Máx
12°
Min

Aos gritos de 'olé', Argentina empata com Honduras e dá adeus ao Rio no futebol

(Foto: Andre Borges/Agência Brasília) - Argentina empata com Honduras e dá adeus ao Rio no futebol
(Foto: Andre Borges/Agência Brasília)


A seleção argentina de futebol masculina deu adeus aos Jogos Olímpicos nesta terça-feira ao empatar em 1 a 1 com Honduras no estádio Mané Garrincha, em Brasília. Atual bicampeã olímpica, a equipe terminou a primeira fase na terceira colocação do Grupo D, atrás de Honduras, o segundo colocado, e Portugal, o líder - ambos classificados.


Durante todo o jogo, a torcida brasileira “secou” os vizinhos sul-americanos. A partida teve dois pênaltis desperdiçados, um para cada lado. No fim do primeiro tempo, o capitão de Honduras, Acosta, chutou para defesa de Rulli e, no começo do segundo tempo, Correa cobrou para fora para desespero dos argentinos.

Aos 26 minutos do segundo tempo, um novo pênalti a favor de Honduras. Desta vez convertido por Lozano. O gol de empate foi feito por Martínez, aos 47 minutos do segundo tempo. Ele soltou uma bomba, que explodiu na barreira e foi para o fundo do gol. O time argentino teve outras chances para conseguir a vitória que precisava para seguir adiante na Olimpíada, mas Calleri e companheiros falharam na pontaria.


A eliminação precoce dos atuais bicampeões olímpicos se dá em meio a uma crise institucional na Associação de Futebol Argentina (AFA), que ameaçou nem mandar o time para a disputa nos Jogos do Rio. Precisou da intervenção do governo do país e também encontrar um técnico às pressas, pois o antecessor Tata Martino pediu demissão após oito meses de salários atrasados.

Julio Olarticoechea assumiu a seleção olímpica em 6 de julho e teve dificuldade para conseguir convocar a equipe nacional, pois diversos clubes não quiseram liberar os atletas. Sem muito tempo para trabalhar e com um time desentrosado, a Argentina perdeu para Portugal na estreia por 2 a 0, depois derrotou a Argélia por 2 a 1 e por fim ficou no 1 a 1 com Honduras nesta terça-feira.


A torcida brasileira não poupou os vizinhos da eliminação. Até “olé” gritaram para os jogadores de Honduras, além da tradicional música provocando Maradona. “Já que o Brasil não dá alegria, a Argentina dá”, ironizou o servidor público Ricardo Miranda.

Ele esteve no estádio para a estreia da seleção brasileira de futebol masculino, na quinta da semana passada, e ficou decepcionado. “O jogo foi horroroso”. Para Renato Andrade, o jogo foi o primeiro que a torcida saiu feliz.


Entre os torcedores que apoiaram a seleção hondurenha estava o ex-ministro da Fazenda Nelson Barbosa. Ele comentou sobre a dificuldade de sair um gol no futebol masculino no Mané Garrincha. “Parece que enterraram uma caveira perto de cada trave”, brincou.