22°
Máx
16°
Min

Após derrota para o Canadá, Vadão deixa futuro em aberto na seleção feminina

(Foto: Alexandre Bittencourt/COB) - Vadão deixa futuro em aberto na seleção feminina
(Foto: Alexandre Bittencourt/COB)


O técnico da seleção feminina de futebol, Vadão, afirmou que não sabe se continua no cargo após a Olimpíada do Rio de Janeiro. Depois da derrota para o Canadá por 2 a 1 nesta sexta-feira, perdendo a disputa da medalha de bronze, ele disse que sua permanência depende do presidente da CBF, Marco Polo Del Nero.

"A permanência da comissão técnica cabe à presidência (da CBF). Quando eu cheguei, me disseram que iriam me contratar para o ciclo olímpico. Então, nesse momento não posso responder (se continuo)", afirmou. "Mas é claro que gostaria de continuar. É o ponto mais alto na carreira para um treinador."

Vadão voltou a cobrar mais investimentos no futebol feminino e a criação de uma liga mais forte. Segundo ele, se as mulheres tivessem melhores condições, o Brasil teria meios de montar uma seleção ainda mais forte.

"Governo, prefeitura, se possível escolas e os clubes deveriam abraçar (o futebol feminino). Condições a gente mostrou que tem, mostramos isso. A CBF nos deu condições, a responsabilidade (da campanha nos Jogos) foi nossa. Não respondemos com resultado, mas respondemos com futebol."

O técnico afirmou que ficou impressionado com a repercussão que o futebol feminino ganhou no Brasil com a disputa dos Jogos Olímpicos no Rio de Janeiro. E que isso poderia ser um ponto de partida para mudar o cenário da modalidade no País.

"Embora não conquistamos a medalha de ouro. Conquistamos corações. Hoje tivemos um estádio lotado (para a disputa do bronze). A impressão que se tem é que vão enxergar o futebol feminino de outra forma."