24°
Máx
17°
Min

Após eliminação, tiro com arco do Brasil quer controlar a pressão neste domingo

(Foto: Ilustrativa/Tânia Rêgo/ Agência Brasil - Após eliminação, tiro com arco do Brasil quer controlar a pressão
(Foto: Ilustrativa/Tânia Rêgo/ Agência Brasil

O tiro com arco foi a primeira modalidade a sentir os efeitos - positivos e negativos - de disputar uma Olimpíada em casa. Nas oitavas de final contra a China, a primeira fase eliminatória, a equipe acabou perdendo por não ter conseguido controlar o lado emocional. A avaliação é do técnico da equipe, Evandro França.

"Nosso esporte não é de muita torcida, principalmente a torcida a nosso favor, e isso com certeza mexe muito. A parte técnica não atrapalhou. Faltou entrar no clima da partida e colocar o emocional no lugar. Fizemos isso em um set, mas acabamos nos perdendo um pouco de novo", disse o treinador.

O desafio da equipe é repetir o desempenho dos treinamentos mesmo com a pressão da torcida. "É impossível não se envolver com a torcida. Você tem que tentar fazer com que não interfira na sua ação de atirar. A gente travou um pouco. Você tenta fazer a ação, mas o corpo não responde", explicou.

O treinador pretende orientar a equipe feminina, que inicia a disputa eliminatória neste domingo. A intenção é prepará-las para o ginásio lotado. "Vamos usar essa experiência, inédita para a gente, para o feminino, para que isso não atrapalhe tanto", diz.