26°
Máx
19°
Min

Após vitória, Ágatha e Bárbara revelam sono perdido por indefinição sobre rivais

(Foto: Célio Messias/ Inovafoto/ CBV) - Ágatha e Bárbara revelam sono perdido por indefinição sobre rivais
(Foto: Célio Messias/ Inovafoto/ CBV)


As brasileiras Ágatha e Bárbara Seixas passaram bem pelas chinesas Wang e Yue, mas a demora no sorteio da chave das oitavas de final do feminino tornou a véspera do jogo tensa para a dupla. O resultado do sorteio só saiu perto da meia-noite, reduzindo o tempo de sono das atletas, que tiveram que acordar às 6 horas para se preparar para a partida decisiva, marcada para às 11h desta sexta-feira.

"Confesso, ficamos um pouco apreensivas por sabermos muito em cima da hora. Mas acho que isso não prejudicou a gente, até fez o contrário. Nos blindamos no sentido de não gastarmos energia em algo que não temos controle", disse Bárbara em referência à organização dos Jogos Olímpicos.

A única informação que as atletas tinham era que jogariam às 11h ou às 16h desta sexta. Depois da ansiedade pela espera - e também alguma torcida pelos colegas do vôlei de quadra e pelo nadador Thiago Pereira - as duas desligaram o telefone e foram dormir sem sequer olhar a tabela para saber o que as esperava se passassem por Wan e Yue.


A dupla madrugou para estudar as adversárias. Em geral a preparação tática das brasileiras leva de quatro a cinco horas antes de uma partida. "A gente acordou às 6h da manhã para estudar. A gente dormiu só seis horas. Faz muita diferença para nós saber o que fazer, o caminho das pedras, não entrar na loucura", contou Agatha.

Para Bárbara, seria interessante se a organização conseguisse organizar melhor os horários da fase eliminatória, levando em conta os horários dos jogos do dia anterior. "Não é comum saber meia-noite que vai jogar de manhã. Não sabemos se é só uma questão da organização ou da televisão, que quer o jogo em tal horário", disse.

Mesmo viradas, as brasileiras liquidaram o jogo com facilidade, por 2 sets a 0, em apenas 41 minutos. Agora elas podem se deparar novamente com as espanholas Liliana e Elsa, responsáveis pela derrota da dupla na primeira fase. A outra opção é enfrentar as russas Ukolova e Birlova. A definição será nesta sexta-feira, às 19 horas, quando as duas parcerias se enfrentam pelas oitavas. Ágatha e Bárbara estarão assistindo para se preparar.

"Vamos descansar e esperar para ver se serão elas. Acho que sim. Uma coisa muito legal nesse jogo (de hoje) é que a nossa concentração estava muito alta, maior que nos outros três. Então a gente vai buscar isso. Independente de serem as espanholas ou as russas. Isso vai ser um diferencial para o próximo jogo também", aposta Agatha.

Às 16h desta sexta será a vez de Larissa e Talita jogarem nas oitavas de final, contra as alemãs Borger e Buthe. As adversárias disputaram a repescagem na noite de quinta contra a dupla da Venezuela. Se passarem, as brasileiras poderão enfrentar nas quartas as holandesas Meppelink e Van Iersel ou as suíças Heidrich e Zumkerh, que jogam no sábado, às 20h.