27°
Máx
13°
Min

Atletas do remo criticam ondulação e ventos na Lagoa Rodrigo de Freitas

(Foto: Arquivo/Governo Federal) - Atletas criticam ondulação e ventos na Lagoa Rodrigo de Freitas
(Foto: Arquivo/Governo Federal)

O primeiro dia de competições do remo nos Jogos do Rio, na Lagoa Rodrigo de Freitas, fez os competidores reclamarem das condições de disputa neste sábado. Segundo alguns atletas, o vento forte e as ondulações da água atrapalharam o rendimento e ofereceram dificuldades além das esperadas durante a abertura das eliminatórias nas 34 baterias distribuídas em cinco modalidades diferentes.

Os primeiros barcos foram para a água às 8h30 e a competição terminou às 13h25. O público, na maior parte de estrangeiros, compareceu em bom número nas arquibancadas, enquanto alguns curiosos viram à distância do lado de fora, da pista de caminhada, trechos das provas. "Nunca tive condições tão difíceis como hoje. A água estava bem agitada. Mas consegui lidar com isso e terminar em primeiro. Agora, vou me preparar para as quartas de final na terça", disse o britânico Alan Campbell, do skiff individual, bronze em Londres-2012 na modalidade.

As competições deste sábado não definiram a eliminação de quem saiu derrotado. As baterias apenas classificaram alguns mais bem colocados para as próximas fases. No domingo, boa parte das baterias será de repescagens. Os brasileiros vão entrar em ação também pela manhã de domingo, com uma dupla masculina (Xavier Maggi e Willian Giaretton) e outra feminina (Fernanda Ferreira e Vanessa Cozzi) no skiff duplo de peso leve.

A preocupação dos competidores é que as condições adversas se repitam nos próximos dias. "Já tinha treinado em condições complicadas, mas, em provas, é a primeira vez que encaro tantas dificuldades. Enfrentei ventos fortes e ondas que atrapalharam", disse a canadense Carling Zeeman, vencedora de prova preliminar no skiff simples. "Geralmente não disputo competições em condições como a de hoje. É muito raro. No meio da prova a água estava agitada demais", afirmou o sul-africano Lawrence Brittain, que ganhou uma das corridas de duplas.

Se a poluição da água era um temor dos organizadores antes dos Jogos, pelo menos neste sábado não trouxe problemas. Os atletas elogiaram tanto a qualidade como o ambiente com a presença de alguns torcedores que ficaram do lado de fora, sem pagar ingresso, mas acompanharam a competição. "Escutei várias vezes gritarem o nome do meu país", contou o peruano Camila Valle Granados, do skiff simples. "Apesar das dificuldades com as ondas, o lugar é muito bonito. Acho interessante a presença de várias pessoas do lado de fora", comentou a atleta, que terá de disputar a repescagem.

O calendário das provas no remo vai até o próximo sábado. As disputas por medalhas vão se iniciar na quarta-feira. As grandes potências no esporte são a Alemanha, maior medalhista olímpica na modalidade, mais a Grã-Bretanha, inventora da modalidade, que está presente nos Jogos desde Atenas, em 1896.