24°
Máx
17°
Min

Atletas russos apelam à CAS para reverter punição e competir no Rio-2016

Dois atletas russos confirmaram neste domingo que vão recorrer à Corte Arbitral do Esporte (CAS, na sigla em inglês) para reverter a punição aplicada pela Associação Internacional de Federações de Atletismo (IAAF) e ter condições de disputar os Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, em agosto.

Os marchadores Denis Nizhegorodov e Svetlana Vasilyeva decidiram recorrer a esta instância, a última, em reação à decisão da IAAF de manter a exclusão do atletismo russo na Olimpíada. Na sexta, a entidade confirmou a punição aplicada em novembro do ano passado, como consequência das investigações da Agência Mundial Antidoping (Wada, na sigla em inglês).

Painel independente da Wada revelou que doping sistemático no atletismo russo, contando com apoio de atletas, treinadores, dirigentes e até funcionários do governo. As denúncias geraram repercussão mundial e causaram duas consequências imediatas: a exclusão do atletismo russo das competições internacionais, incluindo Olimpíada, e o descredenciamento do laboratório antidoping de Moscou e da Agência Antidoping da Rússia.

A IAAF, porém, decidiu dar uma nova chance à modalidade russa, a tempo de competir no Rio. A entidade deu prazo até este mês para promover mudanças em sua estrutura de mecanismos antidoping. Para tanto, os russos deveriam reformar suas instituições e comprovar as alterações. No entanto, as mudanças não convenceram a IAAF, que decidiu na sexta manter a suspensão.

A decisão gerou revolta e indignação entre atletas russos. Até o presidente Vladimir Putin protestou, em razão do alcance da medida, que retiraria da Olimpíada até atletas que nunca foram flagrados em testes antidoping.

Denis Nizhegorodov, medalhista de prata nos Jogos de Atenas-2004, afirmou que "competir na Olimpíada é seu principal objetivo e sua maior honra". "Vou conseguir", garantiu. "Agora eles querem tirar minha chance de competir nos Jogos, mesmo sem ter feito nada que pudesse me custar uma vaga no Rio."

O apelo dos dois marchadores não conta com o apoio aberto da Federação Russa de Atletismo. A entidade afirma que ainda aguarda a notificação oficial da IAAF para tomar uma decisão sobre recursos.