26°
Máx
19°
Min

Atrás de Phelps e Lochte, Thiago Pereira avança em 3º para final dos 200m medley

(Foto: Divulgação)  - Thiago Pereira avança em 3º para final dos 200m medley
(Foto: Divulgação)

A natação brasileira ainda não ganhou uma medalha nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro. E a escrita pode ser quebrada nesta quinta-feira à noite, quando Thiago Pereira estará na piscina para a final dos 200 metros medley. A prova será complicada, até porque ao lado dele estarão atletas de peso, como os norte-americanos Michael Phelps e Ryan Lochte e o japonês Kosuke Hagino. "Será nosso último encontro, pois o Phelps vai parar", avisou Thiago.

Nos Jogos de Londres-2012, Thiago Pereira bateu na trave nesta prova, ficando na quarta colocação. O pódio foi formado por Phelps (ouro), Lochte (prata) e o húngaro Laszlo Cseh (bronze). Em Pequim-2008, quatro anos antes, Thiago também ficou em quarto lugar e o pódio teve os mesmos três atletas, mas com Cseh e Lochte trocando de posição.

Para não bater na trave novamente, Thiago optou por competir nos Jogos do Rio apenas nesta prova, poupando energia para o momento decisivo. "Agora tenho de descansar para estar pronto. É uma prova que não será fácil, mas na minha vida nada foi fácil. Estou satisfeito pela maneira como nadei, o calor da torcida foi incrível e vou brigar pela medalha", disse o brasileiro

Na noite desta quarta-feira, na primeira bateria da semifinal, Henrique Rodrigues ficou na quarta posição marcando 1min59s23 e acabou saindo da final. Já na bateria seguinte, Thiago Pereira fez 1min57s11 e avançou na terceira posição geral, atrás apenas de Phelps (1min55s78) e Lochte (1min56s28), levantando a torcida brasileira no Estádio Aquático Olímpico.

"Não vai ser fácil, mas é minha quarta final consecutiva nos 200m medley. Pretendo sair da água sem conseguir andar para que seja suficiente o esforço para chegar ao pódio", disse o brasileiro, que foi medalha de prata nos 400 metros medley, em Londres-2012.

Depois de sua participação, Henrique Rodrigues lamentou ficar fora da final e achou que poderia ter nadado um pouco mais rápido. "Não estou contente, bati na trave pela segunda vez, mas agora tenho de me preparar melhor para a próxima vez. Tive um erro de estratégia", confessou o atleta.