23°
Máx
12°
Min

Bernardinho diz que 'geração de 2016 não era tão boa quanto a de 2004'

(Foto: Ministério do Esporte) - Bernardinho diz que 'geração de 2016 não era tão boa quanto a de 2004'
(Foto: Ministério do Esporte)


Bicampeão olímpico como treinador, Bernardinho estava bastante orgulhoso da conquista obtida pelos seus comandados neste domingo, ao bater a Itália na final masculina do vôlei nos Jogos do Rio. O feito, na opinião dele, é um dos mais significativos das suas quatro finais como técnico da equipe por ter sido conquistado com um elenco inferior ao do ouro em Atenas, em 2004.

"O mais merecedor venceu, por que soube resistir as duvidas, as criticas sobre derrotas. E talvez tenha endurecido o coro", comentou o treinador em entrevista coletiva. "O time não é tão bom quanto o de 2004, mas fez um trabalho duro e teve dois pilares, o Bruninho e o Serginho", elogiou Bernardinho, que nas duas edições anteriores de Olimpíada acabou como vice.

No ouro olímpico na Grécia a seleção tinha como base jogadores como Giba, Ricardinho e André Nascimento. Somente o líbero Serginho é o remanescente daquela equipe. Neste domingo ele fez o último jogo pelo Brasil e aos 40 anos, vai continuar no vôlei apenas pelo seu time, o Seis.

Os 3 sets a 0 sobre a Itália, no Maracanãzinho, deram ao Brasil a décima medalha olímpica no vôlei, a quinta de ouro. Bernardinho participou em quatro delas como técnico no masculino (dois ouros e duas pratas), mais dois bronzes como treinador da seleção feminina e ainda tem uma prata conquistada em 1984, quando era levantador da seleção nos Jogos de Los Angeles.

O técnico explicou que nos últimos anos adotou um perfil diferente para conduzir os 12 jogadores. "A única coisa que consegui mudar foi a relação com os jogadores. Era uma relação que não deveriam sofrer mais pressão do que já sofriam, da minha parte. Tentei ser um Bernardo diferente na beira da quadra. O resto eu até tentei, mas não consigo", disse o treinador, conhecido pelo estilo exigente.

Apesar de nos Jogos o treinador não receber medalha, Bernardinho disse se sentir premiado da mesma forma. "Minha medalha de ouro é ver os rapazes em cima (do pódio) e a torcida gritando. Isso é único. O metal representa o quê? Tenho carreira longa, muitos títulos, mas a fotografia como essa na minha memória não existe", comentou.

REVERÊNCIA - O astro italiano Ivan Zaytsev foi aplaudido pela torcida enquanto recebia a medalha de prata e demonstrou na entrevista após o jogo estar bastante impressionado com a força do ginásio. "Foi difícil depois da grande emoção na semifinal (vitória no tie-break sobre os Estados Unidos), de ter que jogar contra esse time nesse ginásio lotado. Foi uma grande pena a derrota. O público foi um espetáculo. Temos que parabenizar os brasileiros", afirmou.